Juíza marca audiência que põe Lula e Luciano Hang cara a cara por ‘cachaceiro’

Juíza marca audiência que põe Lula e Luciano Hang cara a cara por ‘cachaceiro’

Magistrada da 2.ª Vara Cível de Navegantes (SC) Anuska Felski da Silva, agenda para 20 de junho audiência na qual ex-presidente cobra R$ 100 mil de empresário por danos morais após avião sobrevoar litoral de Santa Catarina com mensagem em alusão ao petista

Paulo Roberto Netto

09 de março de 2020 | 18h18

A juíza Anuska Felski da Silva, da 2.ª Vara Cível de Navegantes (SC), agendou para 29 de junho a audiência de conciliação entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o empresário Luciano Hang, do grupo Havan. O petista processa Hang por calúnia e difamação sob acusação de ter patrocinado um avião que sobrevoou o litoral catarinense com a mensagem: ‘Lula cachaceiro devolve meu dinheiro’.

Documento

No início de dezembro do ano passado, Hang afirmou que iria ‘patrocinar’ um avião que sobrevoaria o litoral de Santa Catarina com ‘mensagens patriotas’. No dia 28, ele publicou um vídeo da cena em seu perfil no Twitter.

“O povo brasileiro acordou e sentiu na pele o quanto perdeu votando errado. Acreditaram nas pessoas erradas, que só pensaram no poder e destruíram nosso país. Agora juntos vamos reconstruí-lo e transformar o Brasil num lugar de paz, harmonia, ordem e progresso”, escreveu o empresário.

A defesa de Lula cobra R$ 100 mil de indenizações pelo caso, alegando que a mensagem ‘fere gravemente a imagem e a honra’ do ex-presidente.

De acordo com a Justiça, a audiência de conciliação entre Lula e Hang só não ocorrerá se um dos dois manifestar desinteresse na composição, com até dez dias de antecedência. Se uma das partes se ausentar, o não comparecimento justificado representará multa de 2% sobre o valor da causa.

O ex-presidente Lula discursa no Geneva Press Club, na Suíça. Foto: Fabrice Coffrini / AFP

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.