Juíza condena a três anos e meio de prisão homem que fraudou 170 vezes o auxílio emergencial e pegou R$ 435 mil

Juíza condena a três anos e meio de prisão homem que fraudou 170 vezes o auxílio emergencial e pegou R$ 435 mil

Réu sacava o benefício usando documentos falsos até que foi flagrado pela Polícia Federal; ele confessou o crime e declarou que estava tentando 'seguir sua vida'

Redação

05 de novembro de 2021 | 19h20

Aplicativo do Caixa Auxílio Emergencial. Foto: RAFAEL MELO/ESTADÃO CONTEÚDO

A Justiça Federal em São Paulo condenou a três anos e seis meses de prisão um homem denunciado por receber indevidamente R$ 435 mil em parcelas do auxílio emergencial.

Documento

A decisão é da juíza Valdirene Ribeiro de Souza Falcão, da 9ª. Vara Federal de Campinas (SP), para quem há indícios suficientes de autoria do crime. “Importante mencionar que a demonstração da autoria não se sustenta apenas na confissão do acusado. Ela também se baseia nas circunstâncias em que o acusado foi preso em flagrante, além de prova material robusta”, escreveu.

De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal, o jovem ainda era menor de idade quando começou a sacar o dinheiro indevidamente usando documentos falsos. Os investigadores identificaram ao menos 170 auxílios recebidos por meio de contas digitais desde maio do ano passado.

Em depoimento, ele admitiu a fraude e disse que, depois do crime, estava tentando ‘seguir minha vida’ e que ‘queria trabalhar e viver normalmente’. O jovem passou a se hospedar em hotéis para despistar os investigadores. Ele foi preso pela Polícia Federal depois de usar documentos falsos no cadastro de um hotel na capital paulista.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.