Juiz manda vizinha de Doria pagar R$ 50 mil por vídeo que atribuiu festa na pandemia ao filho do tucano

Juiz manda vizinha de Doria pagar R$ 50 mil por vídeo que atribuiu festa na pandemia ao filho do tucano

Cabe recurso da decisão do juiz Marcelo Augusto Oliveira, que fixou indenização por danos morais; gravação circulou em março, quando o governo de São Paulo havia endurecido as medidas restritivas para conter o avanço da covid-19

Rayssa Motta e Fausto Macedo

20 de agosto de 2021 | 20h30

A Justiça de São Paulo decidiu que Alessandra Maluf, vizinha do governador João Doria (PSDB), deve pagar uma indenização de R$ 50 mil por ter gravado e espalhado um vídeo em que atribui uma festa com música ao vivo na pandemia ao filho mais velho do tucano. Ela também foi condenada a se retratar publicamente em até 15 dias, sob pena de multa. A sentença ainda pode ser reformada.

Documento

Na decisão, o juiz Marcelo Augusto Oliveira, da 41.ª Vara Cível de São Paulo, afirma que o vídeo é ‘inteiramente faltoso com a verdade’ e que a repercussão da gravação foi prejudicial ao governador. “Houve intensa repercussão na grande mídia, nas redes sociais, e serviu de munição para os adversários políticos”, observou.

O magistrado disse que Doria provou que o imóvel é alugado e que seu filho mais velho, João Doria Neto, o Jhonny, não estava em São Paulo na noite em que o vídeo foi gravado. Após a repercussão do caso, a atriz e cantora Mariana Rios veio a público dizer que ela é a moradora da casa e que estava com mais três amigos escutando música e cantando em um karaokê.

“A reconvinda [Alessandra] não fez questão de averiguar primeiro se a festa era mesmo do reconvinte [Doria], e pressupôs, sem maiores cuidados, um ato ilícito dele contra o decreto do lockdown”, diz outro trecho da sentença.

O governador João Doria disse ter ido até a casa vizinha pedir que abaixassem música. Foto: Reprodução

A decisão foi tomada em uma ação movida pela vizinha. Em um primeiro momento, foi ela quem decidiu processar o governador por ter sido citada em uma publicação feita por ele nas redes sociais para desmentir o episódio. O juiz não viu ofensa na postagem e considerou que, ao postar o vídeo, Alessandra ‘deu causa’ à reação.

“Quem deu causa à postagem defensiva do requerido foi a própria autora, que filmou e espalhou o vídeo, em que, por simetria, também faz menção expressa ao nome do requerido”, afirmou.

O caso ganhou repercussão depois que o vídeo passou a circular em grupos de mensagem e nas redes sociais. A gravação foi feita da casa da vizinha, que registrou a música alta no imóvel da frente no Jardim Europa, bairro nobre na zona sul da capital paulista, onde disse morar o filho mais velho de Doria.

“Filho do Doria fazendo festa. Está lotado aí dentro. Festa com som. Ali é a casa do Doria e aqui é o filho. As polícias todas lá para proteger ele e aqui o filho dando festa em plena pandemia. Muito bem. Com música ao vivo, tá? Muito bem. Parabéns. Ele fecha o País, mas o filho está dando uma festa aqui do lado da casa dele. Música ao vivo, legal, a vida continua para ele”, narra a voz feminina no vídeo.

COM A PALAVRA, A VIZINHA DO DORIA

A reportagem busca contato com Alessandra Maluf, a quem o governador atribui o vídeo. O espaço está aberto para manifestação.

Tudo o que sabemos sobre:

João Doria

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.