Juiz põe em preventiva sargento da Marinha por ter ‘esfregado quadril’ em ombro de mulher no ônibus

Juiz põe em preventiva sargento da Marinha por ter ‘esfregado quadril’ em ombro de mulher no ônibus

Magistrado Rafael Cavalcanti Cruz, do Rio de Janeiro, observa que vítima reconheceu militar acusado de importunação sexual e destaca 'incapacidade do custodiado reger-se de acordo com as regras de civilidade e sociabilidade'

Pepita Ortega

25 de fevereiro de 2020 | 06h00

Foto: Pixabay

O juiz Rafael Cavalcanti Cruz, do Rio de Janeiro, converteu a prisão em flagrante por importunação sexual do sargento da Marinha José Carlos Vidal Ferreira em preventiva, ou seja, sem data para terminar. O militar foi preso dentro de um ônibus, em São Gonçalo, por ter ‘esfregado intencionalmente seu quadril no ombro’ de uma passageira, tendo ejaculado dentro da calça.

A decisão foi proferida nesta quinta, 20, na Central da Audiência de Custódia, em Benfica.

Documento

No despacho, Cruz ressaltou que a vítima reconheceu o custodiado como o suposto autor do crimes.

“Note-se que a ordem pública se encontra fragilizada, de modo que resta indiciada uma incapacidade do custodiado reger-se de acordo com as regras de civilidade e sociabilidade, oferecendo, assim, a liberdade do custodiado, ofensa à ordem pública, assim considerado o sentimento de segurança, prometido constitucionalmente, como garantia dos demais direitos dos cidadãos”, pontuou o magistrado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.