Juiz do DF autoriza deputado-presidiário em regime aberto

Juiz do DF autoriza deputado-presidiário em regime aberto

Celso Jacob (MDB/RJ) atualmente cumpre pena em semiaberto; durante o dia pode ir para a Câmara, mas dorme na Papuda

Teo Cury e Amanda Pupo/BRASÍLIA

07 Junho 2018 | 21h12

Foto: Dida Sampaio/Estadão

O juiz Fernando Messere, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, autorizou o deputado federal Celso Jacob (MDB-RJ), preso desde junho de 2017 no Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal, a cumprir pena em regime aberto.

Condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) por falsificar documentos e dispensar licitação para construção de uma creche em 2002, quando era prefeito da cidade de Três Rios (RJ), Jacob atualmente cumpre pena em regime semiaberto e pode sair durante o dia para trabalhar na Câmara dos Deputados, mas dorme na prisão.

Conhecido como deputado-presidiário, Jacob continuou comparecendo às sessões plenárias na Câmara dos Deputados após ter sua prisão decretada.

Em sua decisão, o juiz intimou o deputado a comparecer ao tribunal na próxima terça-feira (12), às 14h, para participar de audiência. “O não comparecimento do apenado na data indicada trará como consequência imediata expedição de ordem de prisão”, determinou.

Em novembro, o deputado foi punido, tendo de passar 7 dias em regime de isolamento após ter sido flagrado com alimentos escondidos na roupa durante a revista. Jacob voltava para o cárcere e durante o processo de revista os agentes penitenciários encontraram dois pacotes de biscoito e um queijo provolone escondidos dentro da sua roupa íntima.

De acordo com a Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe), da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, “o interno foi levado imediatamente para o isolamento, onde ficará por sete dias”.
Procurada pela reportagem, a defesa do deputado não retornou.

Mais conteúdo sobre:

Celso Jacob