Juiz autoriza banho de sol a suspeitos de hackear Moro e Deltan

Juiz autoriza banho de sol a suspeitos de hackear Moro e Deltan

Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, também rejeitou pedidos de liberdade dos quatro alvos da Operação Spoofing

Luiz Vassallo

30 de julho de 2019 | 17h06

Reprodução

O juiz federal da 10ª Vara Federal, Vallisney de Oliveira, concedeu aos quatro presos da Operação Spoofing o direito ao banho de sol durante o cumprimento da prisão temporária. Ele também rejeitou pedidos de liberdade.

Walter Delgatti Neto, o ‘Vermelho’, Danilo Cristiano Marques, Gustavo Henrique Elias Santos e Suelen Priscila de Oliveira passaram por audiência de custódia nesta terça, 30, às 10h da manhã.

Gustavo e Suellen narraram agressões verbais e psicológicas no momento em que foram presos, em São Paulo. Ela também disse que estava sem itens de higiene.

“Me trataram mal, fizeram piadinha comigo, eu nunca fiz nada para ninguém, nunca fiz nada. Deus sabe de todas as coisas. Trataram a gente supermal. Eu fiquei sem papel higiênico e tive de tomar água do chuveiro”, relatou Suelen ao juiz Vallisney.

O magistrado acolheu, a pedido de sua defesa, a transferência para um presídio feminino. Na audiência, a Procuradoria também registrou que vai abrir investigação para apurar os supostos maus tratos aos investigados no momento de sua prisão.

Tudo o que sabemos sobre:

Operação SpoofingHackerSérgio Moro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.