Janot sugere mais dois delatores da Odebrecht na ação contra chapa Dilma/Temer

Janot sugere mais dois delatores da Odebrecht na ação contra chapa Dilma/Temer

Procurador-geral da República diz que Benedicto Barbosa Junior e Fernando Reis, executivos ligados à empreiteira, 'relataram fatos aparentemente relacionados' com o objeto do processo em curso no Tribunal Superior Eleitoral

Mateus Coutinho, Julia Affonso e Beatriz Bulla

22 de fevereiro de 2017 | 16h16

Rodrigo Janot em Brasília. FOTO:DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Rodrigo Janot em Brasília. FOTO:DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Ao defender a utilização dos depoimentos das delações premiadas de executivos da Odebrecht na Ação de Investigação Judicial Eleitoral que pede a cassação da chapa Dilma-Temer no TSE, o procurador-geral da República Rodrigo Janot apontou nomes de delatores da empreiteira que depuseram sobre fatos ‘aproximadamente relacionados’ com a ação e que não foram chamados para depor pelo ministro Herman Benjamin, relator do processo na Corte Eleitoral.

O ministro do TSE determinou as oitivas de Marcelo Odebrecht, Claudio Melo Filho e Alexandrino de Salles Ramos apontando que “houve depoimentos relacionados à campanha da chapa eleitoral Dilma-Temer em 2014”.

Em seu parecer, contudo, Janot indicou que os delatores Benedicto Barbosa Junior, Alexandrino Salles e Fernando Reis “relataram fatos aparentemente relacionados com o objeto da AIJE”. Destes, o ministro do TSE decidiu ouvir apenas Alexandrino, além de Claudio Melo e Marcelo Odebrecht.

 

Tudo o que sabemos sobre:

OdebrechtMichel TemerDilma RousseffTSE

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.