Janot diz que ‘não sabe’ se orçamento da Lava Jato vai ser prioridade de Raquel

Janot diz que ‘não sabe’ se orçamento da Lava Jato vai ser prioridade de Raquel

Em Washington, procurador-geral da República afirma que em sua gestão 'está garantidíssimo' para 2018 recurso para a maior devassa contra a corrupção no País

Luiz Vassallo e Julia Affonso

19 Julho 2017 | 17h44

Rodrigo Janot. Foto: Reprodução

O procurador-geral da República Rodrigo Janot disse nesta quarta-feira, 19, nos Estados Unidos, que o orçamento para a Operação Lava Jato em 2018 ‘está garantidíssimo’. Ele disse ‘não saber’ se sua sucessora Raquel Dodge dará prioridade à destinação de verbas para a grande investigação contra a corrupção. Após seminário promovido pelo site jurídico Jota e pela Atlantic Council, em Washington, Janot foi indagado se o orçamento para a Lava Jato está garantido.

“Garantidíssimo”, respondeu o procurador, que fica na cadeira até 15 de setembro, quando será substituído por Raquel, e escolhida do presidente Michel Temer.

Em ofício encaminhado na semana passada a Janot, a futura procuradora-geral fez uma lista de 40 perguntas sobre a proposta orçamentária para 2018, que será tema de uma reunião do Conselho Superior do Ministério Público Federal marcada para terça.
Segundo a sucessora de Janot, a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba solicitou R$ 1,65 milhão, mas na proposta orçamentária foram disponibilizados somente R$ 522,6 mil. “Qual a razão dessa redução para a força-tarefa da Lava Jato? Qual o valor programado para a força tarefa em 2017?”, questionou Raquel.

“É a prioridade da Procuradoria na minha gestão”, reagiu Janot, em Washington. “Se vai ser na dela (Raquel) não sei. Agora, na minha (gestão) está garantido o orçamento, sim.”

No evento, Janot rebateu argumentos de que a Lava Jato é a origem da forte crise econômica no Brasil. Segundo ele, ‘as investigações, na verdade, encontraram os motivos que levaram aos problemas econômicos brasileiros, como irregularidades envolvendo o cartel de empreiteiras que impediam a liberdade do mercado.

“Isso é uma proposta do orçamento que vai ser aprovada ou não pelo Conselho, na terça-feira que vem. O que eu posso dizer é que o que foi destinado para a Lava Jato para 2018 é mais do que em 2017.”

Mais conteúdo sobre:

operação Lava Jatorodrigo janot