Janot diz que na Lava Jato Teori ‘não hesitou em adotar medidas inéditas para a Suprema Corte’

Janot diz que na Lava Jato Teori ‘não hesitou em adotar medidas inéditas para a Suprema Corte’

Em nota pública, procurador-geral da República afirma que ministro do Supremo 'honrou o papel de magistrado'

Fábio Serapião, Julia Affonso e Mateus Coutinho

19 de janeiro de 2017 | 18h54

Rodrigo Janot. Foto: Ed Ferreira Estadão

Rodrigo Janot. Foto: Ed Ferreira Estadão

O procurador-geral da República Rodrigo Janot divulgou nota de pesar pela morte do ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal. Janot disse que na Operação Lava Jato, Teori ‘não hesitou em adotar medidas inéditas para a Suprema Corte’.

Para o procurador, Teori ‘honrou o papel de magistrado, ao atuar de forma ética, isenta, discreta e extremamente técnica durante toda sua carreira’.

“Na relatoria da Operação Lava Jato no STF, o ministro não hesitou em adotar medidas inéditas para a Suprema Corte, a pedido do Ministério Público Federal”, destacou Janot.

“É inegável e inquestionável a grande contribuição que o ministro Teori Zavascki deu ao Estado Democrático de Direito Brasileiro a partir de sua atuação como magistrado”, lamentou Janot, em nota distribuída pela Assessoria de Comunicação Estratégica da Procuradoria-Geral da República.

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava JatoTeori Zavascki

Tendências: