Janot denuncia aliado de Renan por corrupção e lavagem de dinheiro

Janot denuncia aliado de Renan por corrupção e lavagem de dinheiro

Procurador-geral acusa deputado federal Anibal Gomes (PMDB) em operação para facilitar acordo entre Petrobrás e empresas de praticagem na Zona Portuária, no Rio

Isadora Peron, Gustavo Aguiar, Mateus Coutinho e Fausto Macedo

16 de junho de 2016 | 20h21

anibal-gomes-dida-sampaio-estadao--525x350

O deputado Aníbal Gomes. Foto: Dida Sampaio/Estadão

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou ao Supremo Tribunal Federal o deputado Federal Aníbal Gomes (PMDB-CE) e Luís Carlos Batista Sá, no Inquérito 3984, pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. Rodrigo Janot também pediu o arquivamento do inquérito em relação ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), por falta de provas.

Segundo a denúncia, constatou-se a atuação do deputado Federal Aníbal Gomes com promessa de pagamento de propina de R$ 800 mil ao então diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa, para permitir e facilitar a celebração de acordo entre a Petrobrás e empresas de praticagem atuantes na Zona de Portuária 16, no Rio de Janeiro.

[veja_tambem]

Luís Carlos Batista Sá é acusado de receber a propina destinada a Aníbal Gomes e atuar como operador para a lavagem de dinheiro para o parlamentar.

O procurador-geral da República quer ainda a decretação da perda da função pública do deputado Aníbal Gomes, principalmente por ter agido com violação de seus deveres para com o Estado e a sociedade.

Desmembramento. Janot também pediu o desmembramento do inquérito em relação a outras pessoas envolvidas sem prerrogativa de foro, para que as elas sejam investigadas pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato no Paraná.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: