Irmã de Aécio apenas ofereceu venda de imóvel a Joesley, diz defesa

Irmã de Aécio apenas ofereceu venda de imóvel a Joesley, diz defesa

Em denúncia, o procurador-geral da União, Rodrigo Janot, pediu multa de R$ 6 milhões a Andrea e ao senador afastado, por danos morais e materiais

Isabela Bomfim e Luiz Vassallo

02 de junho de 2017 | 20h55

Andrea Neves. Foto: Reprodução

O advogado Marcelo Leonardo, que defende Andrea Neves – irmã de Aécio -, afirmou, nesta sexta-feira, 02, que ela apenas ofereceu um apartamento da família do senador afastado ao empresário Joesley Batista, e negou que sua cliente tenha participado de negociações de propina. Andrea, o primo, Frederico Pacheco, o ex-assessor de Zeze Perrella, Mendherson Souza, e o parlamentar afastado são alvo de denúncia da Procuradoria-geral da República. Segundo o advogado, Andrea terá a chance de provar sua inocência.

+ Janot pede novo inquérito contra Aécio por ‘propina de R$ 60 milhões’

+ Janot liga conversa entre Aécio e Gilmar a tentativa de barrar Lava Jato

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu, na denúncia oferecida no Supremo Tribunal Federal (STF) que seja aplicada uma multa de R$ 6 milhões ao senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) e sua irmã Andréa Neves por danos morais e materiais. Na denúncia, Aécio e Andrea são acusados de corrupção passiva. O tucano também foi acusado por obstrução de Justiça.

O advogado Marcelo Leonardo alega que Andrea Neves não negociou propina e teve apenas um encontro com o dono da JBS, Joesley Batista. De acordo com a defesa, Andrea ofereceu para Joesley um apartamento da família, mas o empresário não se interessou pela compra e quis fazer uma reunião pessoal com o senador Aécio Neves.

“A partir disso, Andrea não teve mais nenhuma participação nos fatos”, diz nota da defesa.

Aécio Neves foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley Batista. Os valores teriam sido repassados ao primo do senador afastado, Frederico Pacheco, e as primeiras tratativas foram feitas pela irmã de Aécio, Andrea Neves – estão em posse da Polícia Federal a filmagem dos repasses ao suposto receptor do tucano e conversas de WhatsApp com as solicitações de Andrea.

Apesar de justificar que os R$ 2 milhões seriam para bancar advogados de defesa, o dinheiro foi transportado para Mendherson Souza, assessor de Zezé Perrella (PSDB-MG).

COM A PALAVRA, AÉCIO

Nota da defesa do senador Aécio Neves

A Defesa do Senador Aécio Neves recebe com surpresa a notícia de que, na data de hoje, foi oferecida denúncia contra ele em relação aos fatos envolvendo o Sr. Joesley Batista. Diversas diligências de fundamental importância não foram realizadas, como a oitiva do Senador e a perícia nas gravações. Assim, a Defesa lamenta o açodamento no oferecimento da denúncia e aguarda ter acesso ao seu teor para que possa demonstrar a correção da conduta do Senador Aécio Neves.

Alberto Zacharias Toron