Investir em uma marca desconhecida e mais barata ou em uma mais consolidada e mais cara?

Investir em uma marca desconhecida e mais barata ou em uma mais consolidada e mais cara?

André Luis Soares Pereira*

01 de novembro de 2021 | 05h30

André Luis Soares Pereira. FOTO: DIVULGAÇÃO

O ano está chegando ao fim e tem muita gente pensando em dar o pontapé inicial naquele projeto de abrir uma franquia. No entanto, muitos desses futuros franqueados ainda tem uma dúvida crucial: investir em uma marcar desconhecida e mais barata ou em uma mais consolidada e mais cara?

Para chegar a resposta ideal, é imprescindível que o empresário faça uma longa reflexão sobre quais são seus desejos, objetivos e metas. Para começar, por exemplo, é essencial que uma área a ser investida seja definida, mas sempre com base na experiência e conhecimento do futuro franqueado. Não adianta apostar em uma franquia de alimentação quanto não se tem afinidade no setor, e por aí vai. Após isso, é importante mapear as franquias já existentes, como as mais conhecidas e famosas, e também pesquisar as que estão começando e, de preferência, abrindo as portas com propostas bem diferentes.

Feito isso, tudo ficará um tanto mais fácil no decorrer do processo. No entanto, é preciso cautela na hora de investir em uma franquia. A pessoa precisa entender se realmente a marca mais conhecida vale a pena, ou se a que está começando agora realmente é a melhor opção.

O que vale mesmo é avaliar prós e contras de franquias famosas e iniciantes e, dentro disso, tentar se enxergar ao máximo trabalhando com aquele nome. Depois tudo vai depender não só de como a rede desenvolverá o trabalho da marca, mas também de como o empresário vai se esforçar em vender e, ao mesmo tempo, fidelizar clientes, parceiros e ganhar ainda mais destaque entre a concorrência.

Para ficar ainda mais claro:

Franquias já consolidadas

Prós: aqui é evidente que uma franquia já conhecida apresenta também um nome com mais peso no mercado. Além disso, na maioria dos casos essas marcas também já estão com formatos bem definidos e seguros de como funciona o negócio. Sem contar que os clientes são atraídos “naturalmente”, já que conhecem de longa data a franquia e seus serviços.

Contras: o primeiro fator contra esse tipo de franquia é o valor de investimento, que geralmente é mais alto justamente porque o nome da marca já está bem consolidado. Outro detalhe negativo é encontrar um ponto comercial que seja, de fato, estratégico e que se destaque perante outras lojas da mesma franquia. E, por fim, não se deixar acreditar que por ser uma franquia conhecida não é necessário fazer grandes esforços.

Franquias iniciantes

Prós: eis aqui o principal ponto positivo de investir em uma franquia que está dando seus primeiros passos no mercado: ser criativa e apostar em uma necessidade identificada dos consumidores. Além disso, poder fazer parte de um novo negócio é também muito estimulante e faz muitos empresários descobrirem e ditarem até mesmo novas tendências que tem tudo para dar certo, se seguidas com foco e determinação. Outro ponto que vale destacar é que os franqueados de uma nova rede têm mais oportunidades de abrirem o negócio em bons pontos comerciais, pois marcas já consolidadas já possuem operações nos melhores pontos, já que estão saturadas comercialmente.

Contras: é obrigatório que o futuro franqueado verifique se essa nova franquia está realmente disposta a investir no crescimento sustentável da própria marca e se, ao mesmo tempo, ela é séria e oferece segurança no negócio. Aliado a isso, é importante identificar se a franquia iniciante não é apenas “mais uma” do setor, apenas com uma roupagem diferente.

E finalizando, ter em mente que o futuro franqueado precisa, acima de tudo, conversar com potenciais clientes e entender como seu público-alvo enxerga a marca que chegará naquela região. Se eles estão realmente interessados e se aquele serviço fará a diferença, independente se for de uma franquia consolidada ou nova.

*André Luis Soares Pereira, fundador e consultor da GSPP

Tudo o que sabemos sobre:

Artigofranquia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.