Investimento em imóveis no período de crise

Investimento em imóveis no período de crise

Thiago Moura Lemos*

12 de agosto de 2020 | 05h35

Thiago Moura Lemos. Foto: Divulgação

A pandemia do novo coronavírus (covid-19) provocou um enorme colapso mundial, sobretudo quando falamos de economia. As medidas de distanciamento social adotadas com o objetivo de reduzir a propagação do vírus, acarretaram em fatores como queda no consumo, fechamento do comércio e, consequentemente, desemprego. Fatos como esses levantam uma série de incertezas para os investidores.

De acordo com analistas do mercado financeiro, quem busca investir precisa ter cautela, procurando por empresas ligadas aos setores mais resilientes da economia, bem como companhias que são competitivas internacionalmente, mesmo em tempos de colapso, visto que a área de investimentos traz riscos para quem aplica o seu dinheiro.

Além disso, também recomenda-se que os investidores mantenham a liquidez para aproveitar as oportunidades. Afinal de contas, as crises também abrem as portas para fazer bons negócios.

No entanto, mesmo nesse cenário adverso, alguns especialistas do mercado imobiliário vislumbram a chance de fazer um bom negócio para àqueles que avaliem investir em imóveis.

Segundo o diretor de negócios da urbanizadora Setpar, Jamil Nassif: “se você tem um capital ou uma liquidez que seria investido no mercado financeiro, essa pode ser uma boa oportunidade de comprar um imóvel”.

Isso se justifica pelo fato de os imóveis não sofrerem desvalorizações imediatas devido a fatores externos, o que traz a possibilidade de você aumentar o patrimônio de forma sólida.

Outrossim, podemos apontar a intensificação da queda da Taxa Selic, que está em 2% atualmente. Esse novo cenário encaminha investidores a procurarem imóveis como um meio rentável e seguro de aplicar o seu dinheiro.

Deste modo, evidenciado que investir em imóveis é uma excelente opção no atual cenário de crise, arrematar em leilão é uma alternativa de investimento extraordinária, pois o lance mínimo dos bens pode chegar até 50% do valor da avaliação.

Vantagens de arrematar Imóveis na pandemia

Conforme explicado, as vantagens de se investir em imóveis na pandemia são relevantes, contribuindo para que investidores obtenham sucesso na área. A seguir, seguem os principais fundamentos que atestam essa afirmativa:

Segurança do investimento

Os procedimentos dos leilões são extremamente seguros, visto que são praticados rigorosamente pautados na lei, realizados através de leiloeiros devidamente habilitados perante a Junta Comercial do Estado, bem como estão sobre a fiscalização ostensiva do nosso sistema judiciário.

Liquidez

Seja para investimento ou para uso próprio, o leilão oferece as melhores oportunidades de se comprar imóvel abaixo do valor de mercado, pois é possível encontrar imóveis por até metade do seu valor de avaliação. Esta margem de lucro é fantástica para quem pretende comprar um imóvel e revendê-lo, ou até mesmo para quem pensa em ganhar com o aluguel de uma propriedade.

Tecnologia e diversidade de ofertas

Atualmente, os leilões judiciais e extrajudiciais são realizados através de plataformas extremamente tecnológicas, bastando apenas um computador com internet para participar de 99% dos certames. Os leilões de imóveis oferecem milhares de oportunidades todos os dias.

Facilidade de pagamento

Outro ponto que deve ser destacado quanto ao investimento de imóveis em leilão está relacionado à facilidade de pagamento, uma vez que há muitos tipos de financiamento disponíveis nos casos de leilão extrajudicial e, nos casos do leilão judicial, os imóveis podem ser arrematados através de uma entrada de 25% e o restante em até 30 parcelas.

Por fim, ressalta-se a importância de buscar por profissionais qualificados que estejam por dentro do mercado de leilões, uma vez que eles auxiliarão para garantir a segurança da operação, buscando as oportunidades mais vantajosas, com alta lucratividade e retornos em curto prazo.

*Thiago Moura Lemos, advogado especializado em direito civil e processual civil. Sócio e fundador do escritório Lemos e Tambucci, assessoria especializada em leilões

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: