Inteligência e humanidade

Inteligência e humanidade

Luiz Paulo Ferreira Pinto Fazzio*

11 de fevereiro de 2020 | 12h00

Luiz Paulo Ferreira Pinto Fazzio. FOTO: DIVULGAÇÃO

Onda de choque é uma onda caracterizada por ser um distúrbio em propagação onde propriedades como velocidade, pressão, temperatura ou densidade variam de maneira abrupta e quase descontínua.

Acontecimentos inimagináveis, impensáveis, quando levados ao conhecimento do público, podem ser comparados a ondas de choque. Como preparar o público, os cidadãos, para expor crimes e criminosos inimagináveis?

Justiça é um valor fundamental para a humanidade tal como direitos humanos. Bloquear propriedade de pessoas envolvidas em abuso grave de direitos humanos ou corrupção é uma medida efetiva de combate.

É sobre esse tema o teor da Ordem Executiva 13818, assinada pelo presidente dos Estados Unidos em 20/12/2017. Abuso de direitos humanos e corrupção minam valores fundamentais de sociedades, lesam pessoas.

O Código dos Estados Unidos da América (U.S. Code) é uma compilação e codificação da legislação federal. No Título 18 do U.S. Code há disposições sobre crimes e processo criminal.

No Capítulo 115, Seção 2381, há disposições sobre crimes de traição, sedição (sublevação) e atividades subversivas. Em uma das hipóteses é culpado de traição quem ajudar inimigos dos Estados Unidos.

A abertura do processo de impeachment contra o presidente dos Estados Unidos proporcionou uma plataforma para discutir descobertas sobre corrupção na Ucrânia envolvendo ex-vice-presidente americano.

O Serviço Secreto americano recebeu, no último dia 5, solicitação de informações sobre filho de ex-vice-presidente dos Estados Unidos; se ele usou viagens patrocinadas pelo governo para ajudar a conduzir negócios particulares.

É provável que esteja em andamento a maior operação de inteligência militar do nosso tempo. Suas estruturas, processos, precisão, e resultados até aqui alcançados, causam a impressão de que a humanidade se beneficiará.

*Luiz Paulo Ferreira Pinto Fazzio, advogado

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.