Instituto centenário da Advocacia filia primeira advogada trans

Instituto centenário da Advocacia filia primeira advogada trans

Instituto dos Advogados Brasileiros, fundado em 1843, terá em seus quadros ativista dos direitos das pessoas que convivem com HIV e Aids

Redação

21 de fevereiro de 2022 | 12h00

Maria Eduarda Aguiar é presidente do Grupo Pela Vidda. Foto: Divulgação

Depois de mais de um século e meio de existência, o Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB) terá pela primeira vez uma advogada transexual nos quadros da instituição.

Presidente do Grupo Pela Vidda, organização sem fins lucrativos que trabalha para promover o direito das pessoas com HIV e Aids, Maria Eduarda Aguiar assinou a ficha de filiação na última sexta-feira, 18.

“Farei de tudo para representar bem a comunidade LGBTI+ no Instituto”, afirmou.

Em novembro do ano passado, o IAB criou Comissão de Direito e Políticas Públicas. O grupo tem entre suas missões pensar políticas públicas que atendam e protejam a diversidade sexual.

A filiação da advogada ocorre em meio aos eventos organizados por ocasião do mês da visibilidade trans. A abertura dos debates contou com a participação da vereadora Benny Briolly (PSOL), primeira transexual a ocupar uma cadeira na Câmara Municipal de Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro.

“É preciso pensar em políticas públicas que garantam os direitos humanos para todas as pessoas”, defendeu a parlamentar, que preside a Comissão de Direitos Humanos, da Criança e do Adolescente da Câmara.

O segundo vice-presidente do IAB, Sydney Sanches, também participou do evento e defendeu a ‘renovação da tradição do instituto’ no debate de grandes temas.

“Um dia já foi o fim da escravidão e hoje é a inclusão plena da diversidade sexual”, pregou.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.