Instituições de ensino: como reforçar a segurança com inteligência artificial

Leandro Eustaquio*

21 de setembro de 2021 | 03h00

Com o avanço da vacinação no Brasil, professores, técnicos administrativos, trabalhadores terceirizados e alunos voltaram a frequentar, diariamente, as instituições de ensino. Porém, nesse contexto de retomada das atividades, é preciso seguir à risca todos os protocolos sanitários para continuar a prevenção contra a Covid-19 e garantir a segurança das pessoas.

Esses cuidados são de extrema importância, principalmente no caso de escolas primárias, em que as condições de segurança elevam a proteção dos alunos e são levadas em consideração pelos pais na hora da escolha. Diversos fatores influenciam na segurança de uma escola, entre eles: a forma de monitorar o acesso dos alunos, as áreas comuns e do entorno e a de controlar a circulação de pessoas e veículos. Felizmente, hoje em dia há diversas soluções que ajudam a proteger tanto as pessoas quanto o patrimônio, e que utilizam uma série de tecnologias ligadas à inteligência artificial (IA).

A IA é capaz de interpretar, aprender e reconhecer padrões, graças a um recurso que faz parte dela chamado machine learning. Quando integrada a sistemas de CFTV, permite a compreensão do ambiente monitorado, a detecção de situações atípicas e a emissão de alertas. Logo, as instituições de ensino podem se beneficiar da IA para reforçar a segurança em diversos cenários e ocasiões.

Algumas vantagens do uso da inteligência artificial (IA)

Acompanhar a chegada e a saída de veículos

Organizar o acesso de veículos é fundamental para a segurança de todos. Geralmente, há um grande fluxo nos horários de chegada e saída de alunos, podendo em alguns casos gerar engarrafamentos, o que acaba facilitando o acesso de pessoas estranhas.

Uma boa solução para controlar o acesso de veículos são as câmeras e os gravadores de vídeo com inteligência artificial que têm função LPR (License Plate Recognition). Esses produtos fazem a leitura de placas de automóveis e motos. Assim, quando usados em cancelas, liberam automaticamente veículos pré-autorizados, facilitando o acesso de professores, colaboradores, pais e alunos.

Evitar aglomerações

Evitar aglomerações não é apenas uma medida para garantir a mobilidade e a evacuação em caso de incêndios, como também para reduzir as chances de contágio por vírus transmissores de doenças, como o Coronavírus.

Equipamentos com inteligência artificial como controladores de acesso fazem a contagem e monitoram o número de pessoas que circulam no ambiente, além de sinalizar a concentração de alunos em acessos principais e escadarias por meio de um alerta na central de monitoramento quando ela é muito intensa. Outras soluções medem a temperatura corporal e sinalizam quando alguém está com a temperatura acima do normal, ou seja, com febre. Com esse tipo de solução, o controle dos espaços comuns das escolas – como ginásios e quadras de esportes, refeitórios e pátios – é feito de forma automática sem a necessidade de ter um funcionário supervisionando o local todo o tempo.

Gerenciar a entrada e presença de alunos

No horário de chegada dos estudantes também costumam ocorrer aglomerações. Uma boa solução para evitá-las é instalar catracas e controladores de acesso por leitura facial nas entradas. Essas tecnologias liberam o acesso em até 0,2 segundo, possibilitando que a movimentação ocorra de maneira rápida e fluída. Além disso, não há necessidade de contato físico com o equipamento, o que torna o processo mais seguro para todos, evitando contaminações por agentes infecciosos como o Coronavírus. Os controladores de acesso por leitura facial também podem identificar pessoas que estejam sem máscara, usando EPIs de forma incorreta ou com temperatura elevada, e ser configurados para barrar a entrada nesses casos.

Controlar presença de estudantes e encontrar pessoas

Equipamentos com IA também podem contribuir para o controle de presença dos alunos. Com uma solução de reconhecimento facial no acesso ao local, é possível liberar a entrada dos estudantes cadastrados no sistema da instituição, reconhecendo inclusive rostos com máscara, e medir a temperatura deles. Da mesma forma, caso a pessoa que tente entrar não esteja cadastrada, um alarme é acionado. Uma grande vantagem desse tipo de solução é que pode ser integrada ao sistema de controle de presença nas aulas.

Em outras situações, em que seja necessário localizar alguém rapidamente, seja por uma questão de segurança ou apenas para confirmar sua presença na instituição, os produtos com IA oferecem duas funções: reconhecimento facial e busca forense. A primeira identifica as faces que já estão registradas no sistema e a segunda tem a função de buscar dados que estão no sistema. É possível criar filtros específicos para identificar tatuagem, cor de camiseta e pessoas com boné, por exemplo.

Identificar atitudes suspeitas e violência

Não são raros os casos de roubos e furtos no lado de fora das instituições de ensino. Para evitá-los, as câmeras que detectam atitudes suspeitas têm grande valor, pois a inteligência artificial desses equipamentos pode identificar anormalidades em determinado ambiente, além de emitir um alerta quando ocorre qualquer comportamento fora do padrão, como quando há um veículo ou pessoa circulando em torno de um lugar. Assim, é possível prevenir e tomar ações rápidas.

Já a função de detecção de violência pode ser útil para monitorar playgrounds, universidades, lanchonetes, bibliotecas e serviços em geral, e, em caso de discussões ou brigas, acionar um alerta. Também há a função de detecção de queda, que pode identificar quando um aluno durante a hora do recreio cai, por exemplo. Logo, é necessário um menor número de profissionais monitorando os intervalos.

Monitorar grandes perímetros

Um dos desafios das instituições de ensino é fazer o monitoramento de grandes espaços com áreas de sombra, que apenas uma câmera não conseguiria monitorar. Para superar esse desafio, existem câmeras panorâmicas, capazes de monitorar áreas externas e internas, como estacionamentos, ginásios e pátios. Esse tipo de câmera substitui o uso de diversas câmeras, pois tem alta qualidade de zoom, imagem em alta definição, mesmo no escuro, entre outras vantagens, podendo melhorar a segurança de toda a instituição trabalhando com a mesma qualidade que as câmeras comuns em espaços menores.

A inteligência artificial já é uma realidade que facilita o dia a dia das instituições de ensino, promovendo um monitoramento preciso e assegurando que os protocolos de prevenção à Covid-19 sejam cumpridos.

*Leandro Eustaquio, supervisor da Categoria de Câmeras da Intelbras

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.