Inovação real em negócios

Inovação real em negócios

Ou a breve história de como um brigadeiro mudou o mundo

Vagner Almeida*

13 de abril de 2019 | 09h00

Vagner Almeida. FOTO: DIVULGAÇÃO

Como consultor em inovação em negócios, meu desafio diário é tornar conceitos complexos em simples para que sejam fáceis de serem replicados para entendimento de vários níveis de empresas. Para isso, é também uma constante desmistificar conceitos que viram moda e passam a ser divinizados no jargão empresarial a um ponto de que não se sabe mais seu significado. Entre estes conceitos a desmistificar estão o “propósito”, o “posicionamento” e a “proposta de valor”.

Esta tríade é o segredo da conceituação e prática de qualquer negócio ou projeto que deseja ser relevante, eficiente e inovador. Para entender na prática, costumo usar a história das “3 formas de vender um brigadeiro” para explicar a diferença do comum, do funcional e do “propósito com valor”.

A história é a seguinte:

“Primeiro eu te mostro um brigadeiro e digoEsta delícia aqui é o melhor brigadeiro do mundo! Compra de mim?e esse brigadeiro fica preso no que ele é: um produto, seu valor está vinculado ao máximo que é possível um brigadeiro ser. É um posicionamento funcional de mercado.

A segunda forma seriaEsse delicioso brigadeiro vai mudar o mundo! Ele é produzido com o melhor cacau, dentro de processos sustentáveis, orgânicos e ecológicos do início ao fim! Compra de mim?Esse brigadeiro já carrega um posicionamento social claro com intenção de mostrar para um grupo cultural que ele está de seu lado e já gera algum valor extra, porém ainda está preso a produtos similares ao brigadeiro.

Já na terceira eu digoNós vamos mudar o mundo através do maravilhoso sabor de produzir soluções e processos sustentáveis e ecológicos, desenvolvendo comunidades rurais colaborativas que entendem do que é orgânico e saudável. E nesse momento criamos o melhor brigadeiro do mundo. Quer nosso brigadeiro?Neste caso, se a história é real, o brigadeiro é uma promessa de que muito mais pode ser feito se o cliente virar um investidor em um propósito maior do qual ele acredita, mostrando que tem um posicionamento de ação real em cada comportamento da empresa e já resulta em uma proposta de valor que é a experiência de comer um brigadeiro e ainda ajudar a mudar o mundo.”

Como disse, é uma história simples para evitar que os clientes caiam na pegadinha de todo ser humano – o encantamento com a ferramenta – que no caso é o produto (brigadeiro), pois quando o brigadeiro vira o negócio, ele já ficou limitado e você fica preso à cozinha de seu negócio. Essa reflexão é importante, pois determina a longevidade, flexibilidade e adaptabilidade que sua empresa tem em migrar entre ferramentas sem perder seu propósito.

No terceiro caso de nosso exemplo fictício vemos o modelo de todas as empresas que, nos últimos 10 anos, vem derrubando grandes corporações tradicionais. Quando você tem propósito em suas ações, tanto faz se for um brigadeiro ou uma tapioca, pois o público investirá em sua ideia se você continuar entregando a sua promessa. Exemplos recentes vêm do mercado mais tradicional – o financeiro – onde grupos culturais já aderiram a novas empresas que mostram que querem construir bancos melhores e mais ágeis e lucrativos para todos e tudo começa com você adquirindo um cartão de crédito com benefícios únicos que provam na prática que isso é possível.

O mercado mudou e o cliente quer ser investidor de sua empresa. Ele pesquisa, compara, pergunta, escrutina tudo ao respeito de seu negócio antes mesmo de chegar ao carrinho de compra ou a mesa de negociação. Não tem volta. Ou você é relevante culturalmente para ele ou é só mais um brigadeiro.

Ele seleciona você da mesma forma que você seleciona currículos, verificando primeiro se os candidatos têm condições de resolver o problema, depois o quanto eles realmente sabem sobre o assunto e por último – estando os finalistas empatados meu amigo – ele vai sim selecionar por aqueles que possuem mesmo propósito e valorizam as mesmas coisas que ele.

Decisões são humanas e investimos em quem faz parte do mesmo grupo cultural ao qual pertencemos e hoje esses grupos são diversos.

Para isso, você precisa identificar que grupos culturais realmente têm aderência ao SEU PROPÓSITO e como gerar comportamentos adequados aos ambientes destes grupos através de UM POSICIONAMENTO que vai além do mercado para gerar experiências QUE PROPONHAM UM NOVO VALOR que seja relevante para esse cliente investidor.

Quando você forma um negócio com base nesta tríade, as pessoas investem mais no seu potencial de gerar valor do que no valor agregado do produto em si e criam uma relação. Então lembre-se de que, no mínimo, sua proposta de valor tem de responder a esta pergunta: “como entrego experiências e relações que mostrem minha capacidade de gerar mais valor e sair do jargão de resolver problemas?”

Quando falamos em inovação em negócios, precisamos lembrar que para chegar no fácil e eficiente, primeiro precisamos tornar o complexo e impossível em ações simples e possíveis. Seu propósito tem de ter ações de valor alinhadas com o que seus clientes investidores buscam. Você pode chamar cada ação como um MVP (Minimum Viable Product ou Produto Mínimo Viável), que expresse essa tríade.

Para que seu negócio cresça, você precisa posicionar em todo o modelo e plano de negócios o potencial que seu propósito tem em gerar valor repetidamente, seja facilitando a mobilidade em cidades, mudando o padrão de como o mercado financeiro atua ou disseminando a cultura orgânica de alimentos. A tríade deve impregnar cada detalhe de seu plano de ação, estratégias e canais de produção.

É a única forma de criar uma cultura em sua empresa onde não exista diferença entre você e seu cliente investidor. De criar um ecossistema de inovação onde o cliente traga ideias, informações e investimento para que você realize o propósito prometido. Relação e experiência mudam o mundo diariamente e você pode ser atuante nesse processo como empresa.

E existe metodologia prática para realizar inovação de forma ágil, crescente e colocar em prática o plano de mudar o mundo a partir de um brigadeiro. Basta procurar ou perguntar, mas aqui já dei uma ideia de como começar.

Quer comprar um brigadeiro?

*Vagner Almeida é especialista em personificação empresarial, de marca e de produtos

Tudo o que sabemos sobre:

ArtigoInovação

Tendências: