‘Imprensa não é fácil’, disse Moro a Bolsonaro, ao comentar capa do Estadão

‘Imprensa não é fácil’, disse Moro a Bolsonaro, ao comentar capa do Estadão

Presidente Jair Bolsonaro enviou ao ministro print da capa do jornal que tratava sobre plano de investimentos da ala militar do Planalto que representou uma derrota para a equipe econômica

Redação

24 de abril de 2020 | 23h34

“Imprensa não é fácil”, afirmou o então ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, na conversa que hoje é tida por ele como uma das provas de que o presidente Jair Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal. O comentário foi feito após Bolsonaro enviar a Moro um print da capa do Estadão desta quinta-feira, 23.

A reportagem principal foi sobre um revés imposto pela ala militar do Palácio do Planalto à equipe do ministro da EconomiaPaulo Guedes, com o lançamento do programa de recuperação econômica pós-covid 19 que prevê aumento dos gastos com investimentos públicos para os próximos anos.

Chamado de pró-Brasil, o programa, que chegou a ser apelidado inicialmente de Plano Marshall brasileiro, prevê um incremento de R$ 300 bilhões – R$ 250 bilhões em concessões e parceria público privada e outros R$ 50 bilhões de investimento públicos. A coordenação será do ministro Braga Netto. A equipe do ministro Paulo Guedes, por outro lado, afirmou que não tinha dinheiro para concretizar o plano.

O diálogo precedeu a citação, por Bolsonaro, de investigações contra deputados aliados no inquéritos das fake news, como justificativa para trocar o então diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. Moro afirma que o presidente fazia pressão para obter acesso a e interferir em investigações.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.