Impostômetro chega a R$ 1,4 tri

Impostômetro chega a R$ 1,4 tri

Medidor da arrecadação em todo o País avança velozmente; quantia, segundo cálculos da Associação Comercial de São Paulo. é suficiente para a compra de 3 bilhões de cestas básicas, 3.900 veículos BMW, 1.400 Porsche e renderia R$ 11,4 milhões de juros a hora

Redação

09 de agosto de 2018 | 18h06

Reprodução

O Impostômetro, que mede a arrecadação em todo o país, atingiu a marca de R$ 1,418 bilhão. O relógio instalado pela Associação Comercial de São Paulo no centro da capital apontava às 17h40 desta quinta-feira, 9, exatamente um trilhão e 418 bilhões de reais arrecadados ao longo de 2018.

Com esse montante, segundo cálculos da Associação, daria para comprar 1400 veículos Porsche Panamera ou 3.900 BMW ou 3 bilhões de cestas básicas. Poderia render, ainda, 10 salários mínimos durante 12 milhões de anos, ou juros de R$ 274,5 milhões por dia, ou , ainda, R$ 11,4 milhões a hora.

Em maio, quando o Impostômetro alcançou R$ 900 bilhões, a Associação Comercial de São Paulo destacou que ‘o valor equivale, ou é superior, ao PIB de países como Finlândia, Chile, Hungria, Portugal, Qatar, Angola, Bolívia, República Checa, Equador e Grécia’.

Segundo a Associação, o montante representa o total de impostos, taxas e contribuições pagas pelos brasileiros desde o início do ano nos três níveis de governo, municipal, estadual e federal.

O Impostômetro foi implantado em 2005 pela Associação ‘para conscientizar o cidadão sobre a alta carga tributária e incentivá-lo a cobrar os governos por serviços públicos de qualidade’.

Está localizado na sede da Associação, na Rua Boa Vista, centro da capital paulista.

No portal www.impostometro.com.br é possível visualizar valores arrecadados por período, estado, município e categoria, além de acessar outras informações.

De acordo com dados do Impostômetro, o brasileiro trabalha 153 dias por ano para pagar impostos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.