Identificação das novas drogas é desafio para 20 peritos do Projeto Minerva

Identificação das novas drogas é desafio para 20 peritos do Projeto Minerva

Novo ciclo de estudos de áreas do Ministério da Justiça selecionou profissionais de 14 Estados e do DF para capacitação no Instituto Nacional de Criminalistica da Polícia Federal

Redação

03 de outubro de 2020 | 11h18

Aulas serão oferecidas no Instituto de Criminalística da PF em Brasília. Foto: Apcf

O Ministério da Justiça vai capacitar 20 peritos criminais estaduais para a análise e identificação de novas drogas. O novo ciclo do Projeto Minerva, iniciado no ano passado, será realizado na próxima semana.

As aulas, idealizadas pelo Grupo de Drogas Sintéticas do Serviço de Perícias de Laboratório (SEPLAB), serão oferecidas entre os dias 5 e 9 de outubro no Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal, em Brasília.

O programa foi desenvolvido pelas Secretarias de Políticas sobre Drogas e de Segurança Pública, subordinadas ao Ministério da Justiça, em parceria com a PF. Os profissionais selecionados participam de aulas sobre a amostragem de entorpecentes, análise, interpretação de resultados, classificação na legislação vigente e elaboração de laudos periciais.

Nesta etapa, foram selecionados candidatos do Acre, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio Grande do Norte, Rondônia e Tocantins.

“O Projeto Minerva fortalece as perícias criminais oficiais de todos os estados e do Distrito Federal, a partir de conhecimentos e técnicas que os habilitem a analisar e identificar drogas ilícitas, contribuindo para o combate ao narcotráfico e crimes conexos no País”, informou Ministério da Justiça.

A expectativa da pasta é formar, até dezembro deste ano, seis turmas no âmbito do programa. A perspectiva é que o Projeto Minerva capacite mais de 200 profissionais até 2022.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.