Hora Extra da PF prende dois por fraudes na Assembleia do Acre

Hora Extra da PF prende dois por fraudes na Assembleia do Acre

Investigação sobre obstrução de justiça mostra que em horário além do expediente suspeitos saíram da repartição pública em Rio Branco levando volumes e mochilas

Julia Affonso/SÃO PAULO e Fabio Serapião/BRASÍLIA

18 de setembro de 2018 | 12h25

Foto: PF

A Polícia Federal deflagrou nesta terça, 18, a Operação Hora Extra para apurar crimes de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro, organização criminosa e fraudes em licitação. Os policiais cumpriram dois mandados de prisão preventiva. Os alvos são o secretário-executivo da Assembleia Adalcimar Adalci Nunes e o secretário-adjunto de Assuntos Operacionais, Francisco Auricélio Rego da Silva. Também foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão.

Hora Extra é desdobramento da Operação Hefesto, que nos dias 13 e 14 de setembro, efetuou prisões e apreensões para apurar supostas fraudes nos contratos de publicidade da Assembleia Legislativa do Estado do Acre.

Segundo a PF, no mesmo dia da deflagração da Hefesto, os investigados foram à Assembleia, em horário fora do expediente, e saíram de lá levando volumes e mochilas da repartição pública.

Os servidores são suspeitos de obstrução de justiça e de ocultarem provas dos desvios no contrato de publicidade. Um dos investigados está afastado, em licença, e o outro em férias.

A investigação mostra Adalcimar e Auricélio mantinham contato com uma empresária presa no dia 13 e que participavam de pagamentos indevidos.

Tudo o que sabemos sobre:

AcrePolícia Federal

Tendências: