Homem com picareta ataca sede nacional do PT

Homem com picareta ataca sede nacional do PT

Emilson Silva foi detido por uma patrulha da Polícia Militar, mas liberado ainda na madrugada desta quinta-feira, 30; no Face, ameaça retornar

Ana Fernandes

30 de junho de 2016 | 11h10

sedept

O coração do PT foi atacado com uma picareta na madrugada desta quinta-feira, 30. A vidraça frontal do prédio que abriga o Diretório Nacional do partido foi estourada por um homem, à 1 h. O Diretório fica na Rua Silveira Martins, no centro velho de São Paulo, nas imediações da praça da Sé. O atendado ocorreu cerca de duas horas após o ex-ministro do Planejamento (Governo Lula) Paulo Bernardo ser solto da Polícia Federal em São Paulo após determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal Dias Toffoli.

Uma patrulha da Polícia Militar surpreendeu o homem, identificado como Emilson Silva, com uma picareta, estilhaçando as três portas duplas de vidro na fachada do edifício. Cacos de vidro se espalharam, mas ninguém se feriu.

[veja_tambem]

Segundo a PM, o homem foi levado, por volta de 1h20, ao 8º Distrito Policial, do Brás, e foi liberado em seguida.

Um perfil no Facebook em nome de Emilson Chaves Silva traz uma postagem, na manhã desta quinta, republicada diversas vezes que diz: “Foi eu quem ataquei o diretório nacional do partido dos trabalhadores e vou atacar de novo…”

vandalopt

O PT ainda não emitiu uma nota oficial sobre o ocorrido. Um advogado do partido acompanha o caso. O presidente nacional da sigla, Rui Falcão, estava em Brasília e seguiu para São Paulo nesta manhã, após saber do ataque à sede. Ele foi ao 1º DP na região da Sé pedir que a polícia apure o caso e também pediu reforço na segurança da sede diante das ameaças. Além disso, o partido vai notificar a Polícia Federal sobre o ocorrido.

No Twitter, o secretário municipal de Saúde da gestão Haddad e ex-candidato ao governo estadual, Alexandre Padilha, postou uma foto da fachada depredada. “Sede nacional do @ptbrasil atacada durante a madrugada. Escuridão sobre a tolerância e democracia”, diz a postagem, que foi replicada pelo perfil oficial do partido na rede.

Em julho de 2015, o Instituto Lula, no Ipiranga, foi alvo de um ataque com uma bomba caseira, arremessada contra o prédio. À época, o então secretário da Segurança Pública do governo Geraldo Alckmin (PSDB), Alexandre de Moraes – hoje ministro da Justiça, foi acionado e levou o caso ao então titular da Justiça, José Eduardo Cardozo.

Tudo o que sabemos sobre:

PTvandalismo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: