Haddad vai à Justiça contra presidente do Sesc Rio que pediu votos para Bolsonaro

Haddad vai à Justiça contra presidente do Sesc Rio que pediu votos para Bolsonaro

Luiz Gastão Bittencourt orientou funcionários a votar no candidato do PSL

Teo Cury

05 Outubro 2018 | 19h34

Ex-prefeito Fernando Haddad. FOTO: FELIPE RAU/ESTADÃO

BRASÍLIA – A coligação “O Povo Feliz de Novo”, formada por PT, PCdoB, e Pros, apresentou notícia crime à Procuradoria Regional Eleitoral do Rio de Janeiro contra o empresário Luiz Gastão Bittencourt, presidente do Sesc Rio, que orientou funcionários a votar em Jair Bolsonaro (PSL-RJ). O bloco tem como candidato a presidente da República Fernando Haddad (PT).

“Voto como cidadão e indico a todos aqueles que acreditam no meu trabalho, nas minhas ações e na minha determinação de servir à sociedade, que votem em Jair Bolsonaro! Votem com o Brasil, com a família e com Deus acima de tudo”, diz a mensagem enviada por Luiz Gastão Bittencourt na rede interna de comunicação nesta quinta-feira (04).

A mensagem diz ainda: “Está chegando a hora de decidirmos o futuro de nosso País, de nossas vidas e das futuras gerações. É hora de pensar o que nós queremos. É hora de decidir qual modelo almejamos, sem nos importar no que isso pode significar para nossa individualidade. Tempo de lutar pelo que realmente fará a diferença”.

O texto reforça: “Acabei de ser eleito vice-presidente administrativo da CNC, e não tenho dúvida nem medo dos comentários que afirmam que Paulo Guedes, pessoa que deverá ser o homem forte da economia do governo Bolsonaro, vai mexer ou mesmo acabar com as contribuições do sistema S”.

A defesa da coligação alega que Gastão Bittencourt utilizou a rede interna de comunicação do Sesc Rio, entidade paraestatal, para a veiculação de propaganda eleitoral em benefício de Jair Bolsonaro. “Demonstra-se a incidência do noticiado no crime eleitoral de utilização de instalações públicas para benefício do candidato à presidência Jair Bolsonaro”, afirma a defesa.

A reportagem tenta contato com a defesa do empresário Luiz Gastão Bittencourt. O espaço está aberto para manifestações. O Sesc Rio divulgou mais cedo o seguinte comunicado: “Trata-se do posicionamento do cidadão Luiz Gastão Bittencourt. E não pode ser interpretado como incentivo ou recomendação de qualquer natureza”.

Havan. A rede de lojas Havan, de Santa Catarina, poderá ser multada em R$ 500 mil, se descumprir a determinação da Justiça do Estado que proibiu a varejista de pressionar funcionários a votar em Bolsonaro. Em decisão liminar, a Justiça do Trabalho do Estado determinou que a rede não pressione seus empregados.

Em paralelo, o Ministério Público Eleitoral (MPE) recomendou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a condenação do empresário Luciano Hang, dono da Havan, por propaganda eleitoral irregular em favor de Bolsonaro.

Mais conteúdo sobre:

Jair BolsonaroFernando Haddad