Haddad pede à PF que investigue se campanha de Bolsonaro dissemina boatos contra ele

Haddad pede à PF que investigue se campanha de Bolsonaro dissemina boatos contra ele

Coligação do candidato petista à Presidência diz que é 'notório' o fato de que a campanha de seu rival e do vice 'se aproveita' de mentiras que o atingem

Rafael Moraes Moura/BRASÍLIA

17 de outubro de 2018 | 21h42

O ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad. Foto: Nilton Fukuda/Estadão

A coligação de Fernando Haddad (PT) pediu nesta quarta-feira, 17, à Polícia Federal para apurar a suposta atuação da campanha do candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, na disseminação de notícias falsas contra o petista.

Para a campanha de Haddad, é ‘notório’ o fato de que a campanha de Jair Bolsonaro e de seu candidato a vice, o general Hamilton Mourão (PRTB), ‘se aproveita’ de mentiras disseminadas contra o ex-ministro da Educação.

A coligação de Haddad também sustenta que há a possibilidade de que a campanha de Bolsonaro esteja atuando em conjunto com ‘agentes estrangeiros sem que haja a devida transparência e prestação de contas, o que configuraria uma doação de fonte vedada’.

Os advogados eleitorais de Haddad ainda levantam dúvidas sobre a atuação da campanha de Bolsonaro no WhatsApp, alegando que é ‘bastante plausível que parte da estrutura direcionada aos aplicativos de mensagens acabe por, no mínimo, corroborar com a propagação’ de boatos contra Haddad.

Procurada, a campanha de Bolsonaro não havia se manifestado até a publicação deste texto.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.