Guedes diz a Damares: ‘Deixa cada um se f* do jeito que quiser’

Guedes diz a Damares: ‘Deixa cada um se f* do jeito que quiser’

'Principalmente se o cara é maior, vacinado e bilionário', emendou o ministro da Economia, durante reunião ministerial divulgada nesta sexta

Julia Lindner, Rafael Moraes Moura, Jussara Soares, Amanda Pupo, Paulo Roberto Netto, Bianca Gomes, Marcelo Godoy, Rayssa Motta e Pepita Ortega

22 de maio de 2020 | 18h58

Ao falar sobre a necessidade de incentivos ao turismo no Brasil, o ministro da Economia, Paulo Guedes, provocou a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, ao dizer que é preciso deixar “cada um se foder do jeito que quiser”. “Principalmente se o cara é maior, vacinado e bilionário”, emendou. A fala ocorreu durante reunião ministerial do dia 22 de abril, cujo conteúdo se tornou público por decisão judicial nesta sexta-feira, 22. Assista:

“A mesma coisa o nosso problema do jogo lá nos recursos integrados. Aquilo não atrapalha ninguém. Deixa cada um se foder. Ô Damares, deixa cada um… O presidente fala em liberdade. Deixa cada um se foder do jeito que quiser. Principalmente se o cara é maior, vacinado e bilionário. Deixa o cara se foder, pô! Lá não entra nenhum, lá não entra nenhum brasileirinho”, afirmou Guedes na ocasião.

O ministro da Economia citou como exemplo Macau, na Ásia, conhecido como um dos principais destinos do mundo para jogos de azar do mundo. Guedes também mencionou Cingapura como referência.

Ministro Paulo Guedes. FOTO: ADRIANO MACHADO/REUTERS

“O sonho do presidente é transformar o Rio de Janeiro em Cancún lá, Angra dos Reis em Cancún. Aquilo ali pode virar Cancún rápido. Entendeu? A mesma coisa aí. A Espanha recebe 30, 40 milhões de turistas. Isso aí é uma cidade da Ásia. Macau recebe 26 milhões hoje na China. Só por causa desse negócio. É um centro de negócios. É só maior de idade. O cara entra, deixa grana lá que ele ganhou anteontem. Ele deixa aquilo lá, bebe, sai feliz da vida”, declarou o ministro.

Diante da fala de Guedes, a ministra Damares reagiu dizendo que a Controladoria-Geral da União teria que concordar com a ideia. “Se a CGU tiver como controlar a entrada e a saída do dinheiro. Se não tiver como lavar dinheiro sujo lá”, disse.

Tudo o que sabemos sobre:

Paulo GuedesDamares Alves

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.