Grupo Odebrecht pagou US$ 20 milhões para ministro de Angola

Grupo Odebrecht pagou US$ 20 milhões para ministro de Angola

Nome do beneficiado não revelado. Fachin manteve sigilo dos autos e encaminhou informações para a Procuradoria

Breno Pires, Alexandre Hisayasu, Julia Affonso, Fausto Macedo, e Luiz Vassallo

12 de abril de 2017 | 18h02

HILBERTO

O executivo da Odebrecht, Hiberto Mascarenhas Alves da Silva Filho, afirmou em depoimento à Procuradoria Geral da República, que o grupo repassou US$ 20 milhões para um ministro do governo de Angola. O nome do beneficiado não foi revelado. O dinheiro foi transferido para o Banco Espirito Santo de Dubai, em Dubai, e registrado na planilha de propinas da Odebrecht.

Documento

O ministro Edson Fachin decidiu manter sigilo nos autos e pediu manifestação do Ministério Público Federal. “Considerando o disposto nos arts. 6º e 337-B, ambos do Código Penal e a informação de que o pagamento da suposta propina teria sido efetuado por intermédio do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, preliminarmente, mantido o sigilo dos presentes autos, determino a remessa dos autos ao Ministério Público Federal para que se manifeste sobre a aplicabilidade da lei penal brasileira aos fatos narrados.”

Tudo o que sabemos sobre:

Lista de FachinAngola

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.