Grupo de 54 procuradores, defensores e promotores pressiona Aras a investigar Bolsonaro por racismo após presidente chamar de ‘criatório de baratas’ black power de apoiador

Grupo de 54 procuradores, defensores e promotores pressiona Aras a investigar Bolsonaro por racismo após presidente chamar de ‘criatório de baratas’ black power de apoiador

Grupo pede que a PGR determine o 'imediata apuração de responsabilidade criminal e política' de Bolsonaro por fala que não está isolada 'de um longo e reiterado repertório de discursos de cunho preconceituoso e discriminatório'

Marcelo Godoy e Pepita Ortega

14 de julho de 2021 | 20h56

Augusto Aras e Jair Bolsonaro. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Um grupo de 54 defensores, procuradores e promotores enviou nesta quarta-feira, 14, ao procurador-geral da República, Augusto Aras, uma representação contra o presidente Jair Bolsonaro por crime de racismo. O grupo pede que a PGR determine a ‘imediata apuração de responsabilidade criminal e política’ de Bolsonaro em razão de uma declaração do presidente, que comparou o cabelo black power de um de seus apoiadores a um ‘criatório de baratas’, além de fazer associações à falta de higiene.

De acordo a representação, as falas de Bolsonaro ‘não se encontram isoladas de um longo e reiterado repertório de discursos de cunho preconceituoso e discriminatório contra a população afrodescendente, o que reforça a importância de se apurar sua responsabilidade em vista do impacto concreto na disseminação de ideias e manifestações que potencializam o racismo histórico e persistente no país’.

“Todo o contexto fático e jurídico está a evidenciar um temerário comportamento do Presidente da República de praticar, incitar e/ou induzir a discriminação racial, que tem nitidamente reverberado na propagação de ideais extremistas e supremacistas entre seus apoiadores, com impacto no desenvolvimento das relações sociais internas e externas, ao passo que como chefe de estado tem justamente o dever de comportamento contrário a tais práticas e manifestações”, frisa o texto.

Tudo o que sabemos sobre:

Jair BolsonaroAugusto ArasRacismo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.