Greve dos caminhoneiros faz Tribunal da Lava Jato suspender expediente

Greve dos caminhoneiros faz Tribunal da Lava Jato suspender expediente

Tribunal Regional Federal da 4. Região decide só atender em regime de plantão 'pedidos de natureza urgente' nesta sexta-feira, 25, e transfere prazos processuais para a próxima segunda, 28

Julia Affonso

24 Maio 2018 | 18h36

FOTO TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

O Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), que julga processos da Operação Lava Jato, informou que não haverá expediente nesta sexta-feira, 25, por causa da grande greve dos caminhoneiros que se alastra por todo o País. Os prazos processuais que vencem nesta sexta serão transferidos para o próximo dia útil, segunda, 28.

O presidente da Corte, desembargador federal Thompson Flores, publicou no final da tarde a Portaria nº 538/2018, informando as alterações.

Segundo o TRF-4, os pedidos de natureza urgente, que ‘impliquem perecimento de direito’, serão apreciados em regime de plantão.

Caminhoneiros autônomos fazem uma paralisação em todo o País desde segunda-feira, 21, contra os aumentos seguidos nos preços do diesel. A categoria pede que uma série de reivindicações apresentadas ao governo federal sejam atendidas.

Por causa dos reajustes diários no diesel, os caminhoneiros dizem estar no limite dos custos. Nos últimos 12 meses, o preço do combustível na bomba subiu 15,9%, valor bem acima da inflação acumulada em 12 meses, em 2,76%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O aumento é resultado da nova política de preços da Petrobrás, que repassa para os combustíveis a variação da cotação do petróleo no mercado internacional, para cima ou para baixo.

Mais conteúdo sobre:

operação Lava Jatogreve