‘Grande alegria. Domingo especial, #Lulalivre’, comemorou Zé Dirceu antes da hora

‘Grande alegria. Domingo especial, #Lulalivre’, comemorou Zé Dirceu antes da hora

Ex-ministro publicou vídeo no domingo, 8, em sua rede social, após ordem de soltura do ex-presidente decretada pelo desembargador plantonista do Tribunal da Lava Jato Rogério Favreto, medida, afinal, revogada horas depois pela Presidência da Corte

Julia Affonso e Ricardo Brandt

11 Julho 2018 | 11h35

José Dirceu. Foto: Reprodução

Em vídeo publicado em sua rede social, no domingo, 8, o ex-ministro José Dirceu (Casa Civil) comemorou o alvará de soltura concedido pelo desembargador plantonista Rogério Favreto, do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), ao ex-presidente Lula  na Operação Lava Jato. “Grande alegria. Um dia especial esse domingo. Justiça foi feita, Lula Livre.”

Mas a animação de Dirceu durou pouco. Horas depois de o ex-ministro postar o vídeo, às 12h33, o relator da Lava Jato e o presidente do TRF-4, desembargadores Gebran Neto e Thompson Flores, esmagaram a decisão do plantonista e Lula continuou preso na sede da Polícia Federal em Curitiba, onde desde 7 de abril cumpre pena de 12 anos e um mês de reclusão no processo do triplex do Guarujá.

Entre a ordem de soltura do plantonista e a revogação, um Dirceu sorridente apareceu no vídeo, em camisa verde que remetia ao Brasil na Copa da Rússia.

Zé Dirceu está solto desde 27 de junho por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF). Em 26 de junho, os ministros Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes deram liberdade ao ex-ministro condenado a 30 anos e nove meses na Lava Jato.

Ao decretar liberdade para Lula, acolhendo pedido de habeas de três deputados do PT, partido ao qual foi filiado durante quase 20 anos, o desembargador plantonista do Tribunal da Lava Jato alegou ‘um fato novo’ – a pré-candidatura do ex-presidente.

A PF não abriu as portas da sala especial onde Lula está preso sob alegação de que aguardava o resultado do conflito de decisões no TRF-4.