Grampo da Lava Jato do Cerrado aponta para ‘Tião Caroço’, aliado de Perillo

Grampo da Lava Jato do Cerrado aponta para ‘Tião Caroço’, aliado de Perillo

Sebastião Monteiro Guimarães, conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios de Goiás e ex-prefeito de Formosa, caiu na interceptação da Polícia Federal conversando com presidente da Comissão de Licitação da companhia de Saneamento do Estado que foi preso

Julia Affonso, Mateus Coutinho e Fausto Macedo

27 Agosto 2016 | 06h00

Marconi Perillo. Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Marconi Perillo. Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

Grampos da Polícia Federal na Operação Decantação, a Lava Jato do Cerrado, pegaram Sebastião Monteiro Guimarães, o ‘Tião Caroço’, conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios de Goiás e ligado ao governador Marconi Pirillo (PSDB).

Decantação, deflagrada pela Polícia Federal na quarta-feira, 24, investiga o Esquema Saneago – empresa de saneamento de Goiás que teria bancado partidos com recursos do PAC, do BNDES e da Caixa e pagamento de dívidas de campanha da reeleição do governo Marconi Perillo (PSDB), em 2014 Os desvios, segundo a PF, chegaram a R$ 4,5 milhões.

No dia da deflagração da Decantação, o procurador Mario Lúcio Avelar declarou que se tratava do “mesmo sistema, guardadas as proporções, da Lava Jato”.

IMG-20160824-WA0000

O conselheiro do TCM foi prefeito de Formosa, no interior de Goiás. A cidade, a cerca de 280 quilômetros de Goiânia, tem 110 mil habitantes.

Decantação não imputa ilícitos a ‘Tião Caroço’, mas seu nome é citado em relatório da operação que culminou com a prisão do presidente regional do PSDB Afrêni Gonçalves e do presidente da Saneago, José Taveira Rocha, ex-secretário da Fazenda Perillo.

Um diálogo capturado pela PF pegou ‘Tião Caroço’ ao telefone com Emmanuel Domingues Peixoto, presidente da Comissão Permanente de Licitação da companhia de Saneamento e preso preventivamente na Lava Jato do Cerrado.

Segundo a investigação, Peixoto atuou de forma ‘fraudulenta’ em processo de concorrência.

“Emmanuel Domingues Peixoto fala com Sebastião Monteiro Guimarães (Tião Caroço, ex-prefeito de Formosa e atual Conselheiro do TCM/GO), o qual demonstra preocupação com algum procedimento envolvendo uma mulher cujo nome é Nara e que estaria trabalhando com um auditor, nas palavras de Sebastião, ‘do caralho’, e que o assunto em questão poderia trazer implicações negativas para Emmanuel. Sebastião informa que ele não se mete em briga, e que Emmanuel deveria tratar do problema diretamente com Nara”, aponta o grampo da PF.

Em outra conversa interceptada pela Federal, ‘Tião Caroço’ é citado em telefonema entre Robson Salazar, diretor de Gestão Corporativa da Saneago, e o deputado Giuseppe Vecci (PSDB/GO).

Em 16 de setembro de 2015, ‘Robson recebe outro telefonema do deputado Vecci dizendo que Tião Caroço e o Zé Celso (JC Gontijo) estão esperando a contrapartida deles’.

Vecci caiu no grampo da PF agindo intensamente em favor da JC Gontijo Engenharia, contratada pela Saneago. O deputado não estava sob monitoramento. A competência para eventual investigação sobre o parlamentar é exclusiva do Supremo Tribunal Federal. Ele caiu no grampo da PF indiretamente, como em 28 de setembro de 2015, quando recebeu telefonema de Afrêni Gonçalves – este sim alvo da Decantação.

COM A PALAVRA, ‘TIÃO CAROÇO’

A reportagem fez contato com o Tribunal de Contas dos Municípios de Goiás, mas o conselheiro Sebastião Monteiro Guimarães, o ‘Tião Caroço’, não retornou a ligação. O espaço está aberto para ‘Tião Caroço’.

COM A PALAVRA, O PSDB

O PSDB defende que todas as denúncias sejam investigadas e aguarda a manifestação da Justiça.

COM A PALAVRA, O GOVERNO MARCONI PERILLO (PSDB)

A reportagem procurou o Governo de Goiás nesta sexta-feira, 26. O espaço está aberto para manifestação.

Na quarta-feira, 24, o Governo se posicionou desta forma:

“O Governo de Goiás apoia as investigações em curso na Polícia Federal e no Ministério Público Federal e está inteiramente à disposição das autoridades para quaisquer esclarecimentos.

Os procedimentos licitatórios realizados pelos órgãos, autarquias e empresas da administração estadual são pautados pela legalidade e pela transparência.

O Governo de Goiás acredita na idoneidade dos diretores e superintendentes da Saneago (Saneamento de Goiás S.A.) e tem a plena certeza de que os fatos apresentados serão plenamente esclarecidos”.

*Gabinete de Imprensa da Governadoria”