Governo do Rio cartelizou obras durante a gestão de Cabral, diz PF

Operação deflagrada nesta quinta-feira, 17, inaugura a parceira entre as policias federais do Rio de Janeiro e do Paraná, disse o delegadoda PF Tácio Muzzi em coletiva

Roberta Pennafort, do Rio

17 de novembro de 2016 | 11h09

cabralfabiomotta

O governo do Rio de Janeiro, durante a gestão de Sérgio Cabral, cartelizou as obras realizadas no Estado, afirmou nesta manhã o delegado da Polícia Federal Tácio Muzzi, que participa de coletiva de imprensa para informar sobre a prisão de Cabral nesta quinta-feira, 17, na Operação Calicute, uma referência ao porto onde Pedro Álvares Cabral sofreu revés.

A Operação inaugura a parceira entre as policias federais do Rio de Janeiro e do Paraná, disse o delegado. Ele afirmou ainda que Cabral e outros investigados são acusados de pertencimento de organização criminosa por corrupção ativa, passiva, lavagem de dinheiro e por outros crimes que ainda possam aparecer.

Participaram da operação 19 procuradores do Ministério Público e cinco auditores fiscais da Receita Federal. A operação já resultou na apreensão de obras de arte, valores em espécie e veículos. O valor total desses bens ainda está sendo calculado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.