Gilmar será relator de mais um inquérito contra Aécio

Gilmar será relator de mais um inquérito contra Aécio

A investigação tem como base delação da Odebrecht que cita 'vantagens indevidas' de R$ 5,4 milhões à campanha de Antônio Anastasia (PSDB-MG) a pedido do senador

Rafael Moraes Moura e Breno Pires, de Brasília

04 de julho de 2017 | 17h13

Gilmar Mendes (à esq.) e Aécio Neves em visita ao Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente Autor de Ato Infracional, em 2009. Foto: Omar Freire/Imprensa MG/DIVULGACAO

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), vai ser o relator de mais um inquérito instaurado contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) com base na delação da Odebrecht.

O novo inquérito que ficou com Gilmar diz respeito ao suposto pagamento de vantagens indevidas para a campanha eleitoral de Antônio Anastasia (PSDB-MG) ao governo de Minas Gerais em 2010. Delatores afirmaram que, a pedido de Aécio, pagaram R$ 5,4 milhões em “vantagens indevidas” para a campanha de Anastasia.

Esse inquérito foi distribuído por prevenção a Gilmar Mendes porque um outro processo, também com base na delação da Odebrecht, foi redistribuído ao ministro no mês passado por sorteio eletrônico.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) havia se manifestado favorável à redistribuição dos dois inquéritos – que estavam inicialmente com o ministro Edson Fachin – e pediu que ambos ficassem com o mesmo relator.

Esse segundo caso diz respeito à acusação de que o então senador Aécio Neves recebeu em 2014 valores indevidos pelo grupo Odebrecht para a sua campanha eleitoral. De acordo com delatores, os pagamentos teriam sido feitos de forma dissimulada por meio de contratos fictícios firmados com a empresa PVR Propaganda e Marketing Ltda. O tucano nega as acusações.

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava Jato

Tendências: