Gilmar condena facada em Bolsonaro e alerta para ‘clima de conflagração’

Gilmar condena facada em Bolsonaro e alerta para ‘clima de conflagração’

Ministro do Supremo prega 'combate à violência na política' e pede disputa eleitoral 'dentro de padrões civilizados'

Redação

07 Setembro 2018 | 05h21

FOTO: WILTON JUNIOR/ESTADÃO

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo, condenou o ataque a faca contra o deputado Jair Bolsonaro (PSL), candidato à Presidência, ocorrido nesta quinta, 6, em Juiz de Fora (MG). “Lamentável, deplorável”, definiu o ministro.

“Acho que temos que combater a violência na política e contribuir para que haja uma disputa dentro de padrões civilizados”, recomenda Gilmar.

Bolsonaro foi golpeado no abdome. Seu agressor, Adélio Bispo Oliveira, foi preso em flagrante. Disse ter agido ‘por conta própria’. O presidenciável foi operado e está fora de perigo.
Gilmar Mendes disse ter ficado perplexo com a facada em Bolsonaro. Ele observou que ‘vem advertindo’, em sua conta no Twitter, ‘para esse clima de conflagração’ na política.

“Esses dias citei um livro da Vera Lúcia Bogea, ‘Morte na República’, sobre o assassinato do senador Pinheiro Machado, em 1915. “Venho advertindo para esse clima de conflagração e esse estímulo leva a isso.”

“Tenho dito que tem que haver uma certa prática de compreensão e tolerância, inclusive dos órgãos de mídia. Os órgãos de mídia são instrumentos que açulam. A mídia não foge à responsabilidade por esse tipo de situação”, afirmou o ministro.