Foragida há cinco dias, mulher de Queiroz entra com pedido de habeas corpus no Rio

Foragida há cinco dias, mulher de Queiroz entra com pedido de habeas corpus no Rio

Márcia Oliveira de Aguiar teria ajudado o marido na obstrução de Justiça ao longo do inquérito das rachadinhas

Caio Sartori/RIO

23 de junho de 2020 | 13h27

Advogado de Flávio Bolsonaro, Luis Gustavo Botto Maia (esquerda) , Raimunda Veras Magalhães (mãe do miliciano Capitão Adriano) e
Márcia Oliveira de Aguiar (mulher de Fabricio Queiroz). Foto: MP-RJ

A defesa de Márcia Oliveira de Aguiar, mulher de Fabrício Queiroz, entrou com pedido de habeas corpus na Justiça do Rio nesta segunda-feira, 22. Ela está foragida desde a quinta-feira da semana passada, quando foi alvo de mandado de prisão preventiva. O marido está preso desde então.

O pedido foi apresentado ontem à noite pela banca do advogado Paulo Emílio Catta Preta. Na manhã de hoje, foi distribuído para a 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça – colegiado de cinco desembargadores que julga, nesta quinta, um habeas corpus de Flávio Bolsonaro.

Márcia é acusada de ajudar na suposta obstrução de Justiça ao longo das investigações sobre a ‘rachadinha’ no antigo gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Queiroz seria o operador do esquema.

Hoje cedo, agentes deflagraram uma operação em Belo Horizonte, Minas Gerais, em endereços de familiares de Queiroz, mas não encontraram Márcia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.