FHC, Sarney, Collor, Lula, Dilma e Temer protestam contra ‘inqualificável’ agressão ao Supremo

FHC, Sarney, Collor, Lula, Dilma e Temer protestam contra ‘inqualificável’ agressão ao Supremo

Ex-presidentes se unem à corrente que se solidariza à Corte máxima, alvo de hostilidades, ameaças e até foguetório

Rodrigo Sampaio, Especial para o Estado

15 de junho de 2020 | 18h08

Ex-presidentes se manifestaram contra ataques ao STF


Os ex-presidentes da República Luiz Inácio Lula da Silva, Fernando Henrique Cardoso, Dilma Rousseff, Michel Temer, Fernando Collor e José Sarney manifestaram repúdio aos ataques sofridos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), na noite do último sábado, 13, e prestaram total solidariedade à Corte, em defesa da democracia e do respeito às instituições republicanas. O apoio ao Supremo foi divulgado nas redes sociais de alguns dos antigos mandatários. 

Fernando Henrique Cardoso

“Minha solidariedade ao STF é total. Os fogos vistos no YouTube e a voz tremebunda atacando-o são contra a democracia. Gritemos: não ao golpismo! Os militares são cidadãos: devem obediência à Constituição como todos nós. Defendamos juntos Brasil, povo e lei, antes que seja tarde”.

 

Luiz Inácio Lula da Silva

“Qualquer instituição que faz parte da garantia do funcionamento da democracia no nosso país precisa ser respeitada em sua plenitude. É inadmissível a irresponsabilidade dessa manifestação agressiva contra o STF”.

 

Dilma Rousseff

“Todos devem obediência à Carta Magna. Ninguém está acima dela. Ataques ao STF e ao Congresso precisam ser respondidos nos termos da lei”.

 

Fernando Collor

“O STF é o guardião da Constituição Federal e dos direitos fundamentais. Atacar a Suprema Corte é uma afronta à mais básica racionalidade democrática e uma ofensa à ordem constitucional! Tentar amedrontar a Justiça com manifestações de ódio é intolerável!”

 

Michel Temer

“Presidente Dias Toffoli. Receba minha solidariedade à sua manifestação. A agressão física à Suprema Corte revela o desconhecimento de suas elevadas funções como um dos principais garantes da democracia, integrada, como é, por juristas do maior porte e forjados na ideia de rigoroso cumprimento da Constituição Federal”.

José Sarney

“Solidário à sua mensagem, junto o meu protesto contra inqualificável e criminosa agressão ao STF, guardião da Constituição, integrado por magistrados de altas virtudes culturais e morais. Peço para estender minha solidariedade a toda Corte”.

Ataques ao STF

No sábado, cerca de 30 manifestantes bolsonaristas do movimento “300 do Brasil” atiraram fogos de artifício em direção ao edifício do Supremo Tribunal Federal, na Praça dos Três Poderes, em Brasília. Vídeos que viralizaram nas redes sociais mostram o grupo xingando ministros da Corte durante o ato.

Nesta segunda-feira, 15, a extremista Sara Geromini, líder do movimento que protagonizou o ataque, foi presa durante uma operação da Polícia Federal, em Brasília. Ela é alvo do inquérito que investiga a organização de atos antidemocráticos, conduzido pelo STF, com relatoria do ministro Alexandre de Moraes.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: