Fala para o vereador: os desafios na retomada econômica dos municípios no cenário pós-pandemia

Fala para o vereador: os desafios na retomada econômica dos municípios no cenário pós-pandemia

Em novo episódio do podcast, o promotor de Justiça Affonso Ghizzo Neto, do Ministério Público do Estado de Santa Catarina, recebe o vereador Anderson Guzzatto, presidente da UVESC (União dos Vereadores de Santa Catarina), para falar sobre os desafios enfrentados pelos vereadores na retomada econômica dos municípios no cenário pós-pandemia

Maria Isabel Miqueletto

11 de novembro de 2021 | 17h24

Em um cenário de ampla cobertura vacinal e retomada econômica, após a crise da Covid-19, o papel do vereador é essencial para levar informação à população e usar sua força política para buscar o desenvolvimento do município, defende Anderson Guzzatto, presidente da UVESC (União dos Vereadores de Santa Catarina), convidado do quarto episódio do programa “Fala Para o Vereador”, do promotor de Justiça Affonso Ghizzo Neto.

Com o tema “O papel dos vereadores na retomada econômica dos municípios”, no quarto episódio do podcast, a dupla traz reflexões sobre os desafios enfrentados pelos vereadores neste cenário, a importância das ações políticas dos vereadores e as expectativas para o ano eleitoral.

O projeto “Fala Para o Vereador”, criado em parceria com o Centro de Estudos da Administração Pública do Brasil (Ceap Brasil), é gratuito e pode ser acessado através das plataformas do Spotify e Youtube. Uma vez por mês, o promotor de Justiça Affonso Ghizzo Neto, do Ministério Público do Estado de Santa Catarina, com larga experiência no combate à corrupção, traz ao podcast um especialista dos temas ligados ao direito público para debater como os parlamentares podem melhorar a atuação no legislativo.

Affonso Ghizzo Netto. Foto: Divulgação.

“O vereador tem um papel muito importante na sociedade, principalmente neste momento que estamos vivendo hoje. Ele é o político mais próximo da sociedade: ele ouve a sociedade, o político, a comunicação, sabe todas as informações do que está acontecendo. E tem uma voz muito forte no município”, resume Guzzatto. Para ele, cabe ao vereador assumir o desafio de informar a população, em especial quanto aos efeitos positivos da vacina.

O vereador relembra que, durante a pandemia, ao invés de haver união, como em muitos países, houve uma guerra política. “Agora o desafio do vereador é realmente esquecer que o governador pensa de uma forma e o prefeito de outra. É o momento de ele levar para a sociedade que a vacina é o único caminho para sairmos dessa pandemia, e através de suas ações e de sua voz movimentar o seu município no sentido de trazer investimento, da retomada econômica e da geração de empregos”, defende.

Como, então, o vereador pode ajudar a incentivar a economia sem cair na armadilha de favorecer setores indevidamente? “Hoje as coisas estão difíceis e essa carga tributária começa da produção e acaba no consumidor final, que paga a maior conta. O caixa dos municípios não está ruim, mas nosso País sempre viveu no limite. O papel do vereador é movimentar isso tudo, pegar as associações e ir para cima, cobrar os deputados”, aponta.

O próximo ano será marcado pelas eleições presidenciais. Um dos questionamentos do promotor de Justiça é se a polarização vista entre a população também existe entre os vereadores. Para Guzzatto, não. Uma das razões é pela renovação política das últimas eleições estaduais. “Esses vereadores novos entraram para mostrar diferença, não para ser subordinado do prefeito ou do partido político. Eles pensam em fazer uma política diferente”, diz. 

Para o vereador, a ideia de extremidade que existe hoje no País tem trazido ‘efeitos drásticos na área econômica e na saúde pública’. “Existem dois extremos e (as pessoas) não olham para a política de uma forma técnica”, observa. 

Um fenômeno mundial apontado por Neto é a falta de identificação da população com os políticos, realidade também presente no Brasil. “A gente precisa ter empresários na política, professores na política, precisamos ver essas classes representadas, também os negros, as mulheres, os homossexuais, os deficientes físicos. Quando você tem um parlamento plural, você tem democracia”, afirma o promotor. 

Confira o conteúdo completo no Spotify:

 

Sobre o podcast

O promotor de justiça de Florianópolis decidiu criar um podcast para auxiliar vereadores e vereadoras a lidar com temas relacionados ao combate da corrupção. Com a companhia de amigos especialistas no direito público, Affonso Ghizzo Neto traz em um bate papo os principais temas envolvendo a administração municipal.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.