Fachin fatia denúncia de Janot e mantém investigação de Renan no STF

Fachin fatia denúncia de Janot e mantém investigação de Renan no STF

Acusação se refere a suposta organização criminosa na cúpula do MDB no Senado

Rafael Moraes Moura/ BRASÍLIA

07 de fevereiro de 2019 | 21h56

Renan Calheiros. Foto: Evaristo Sá/AFP

BRASÍLIA – O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu fatiar a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR) contra a antiga cúpula do MDB no Senado por integrarem organização criminosa que teria recebido propinas e desviado recursos públicos em um esquema de corrupção na Transpetro. A denúncia foi apresentada pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em setembro de 2017.

Fachin decidiu manter apenas no STF a investigação sobre o senador Renan Calheiros (MDB-AL) e arquivou a apuração sobre o ex-presidente José Sarney (MA) e o ex-senador Garibaldi Alves (RN), apontando haver prescrição no caso dos dois.

Fachin ordenou o envio à Justiça Federal do Rio de Janeiro as investigações contra os ex-senadores Valdir Raupp (RO) e Romero Jucá (RR), que perderam o foro privilegiado ao encerrarem seus mandatos no Congresso Nacional.

Procurada pela reportagem, a assessoria de Renan informou que a investigação será arquivada por “absoluta falta de provas porque jamais cometeu ilícito”. Os demais políticos também negam irregularidades. (Rafael Moraes Moura)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: