Exército mapeia cemitérios e ‘disponibilidade de sepulturas’ no Rio em meio à crise do coronavírus

Exército mapeia cemitérios e ‘disponibilidade de sepulturas’ no Rio em meio à crise do coronavírus

Comando Conjunto Leste envia ofício a prefeituras solicitando dados sobre capacidade de sepultamento diários

Paulo Roberto Netto

17 de abril de 2020 | 15h59

O Exército Brasileiro enviou ofício a prefeituras do Estado do Rio de Janeiro solicitando informações sobre a quantidade de cemitérios, disponibilidade de sepulturas e capacidade de enterros diários em cada cidade. A informação foi divulgada nas redes sociais pelo prefeito de Três Rios (RJ), Josimar Salles (PDT).

Em vídeo divulgado nas redes sociais, Salles revela o ofício recebido pela prefeitura na quinta, 16, que pede aos chefes de postos de recrutamento e mobilização um levantamento dos dados solicitados, com apoio das juntas militares. As informações seriam para a ‘consolidação e resposta ao Departamento-Geral do Pessoal referente à pandemia do covid-19’.

“Diante de um documento como esse, vindo de uma instituição das mais respeitadas do Brasil, o Exército Brasileiro, pedindo informações sobre o número de cemitérios, o número de cemitérios, a nossa capacidade para sepultar pessoas, eu não posso, de forma alguma, afrouxar as nossas medidas, porque se o Exército está perguntando isso é porque estão fazendo um levantamento estatístico diante de uma possibilidade de um caos na nossa saúde pública”, afirmou o prefeito.

Procurado, o Comando Conjunto Leste confirmou o envio do ofício e afirma que planeja sua atuação no combate ao novo coronavírus a partir de ‘cenários hipotéticos, visando mitigar os efeitos nocivos da pandemia junto à sociedade’.

“O documento em pauta tem como objetivo tão somente coletar dados para um dos cenários levantados”, afirmou.

Construção de urnas no cemitério São Francisco Xavier, no bairro do Caju na zona portuária do Rio. Foto: Wilton Júnior / Estadão

CONFIRA A ÍNTEGRA DA NOTA DO EXÉRCITO:

O Comando Conjunto Leste, ativado pelo Ministério da Defesa no contexto do emprego das Forças Armadas contra a Covid-19, planeja sua atuação com base no levantamento de cenários hipotéticos, visando mitigar os efeitos nocivos da pandemia junto à sociedade.

O documento em pauta tem como objetivo tão somente coletar dados para um dos cenários levantados.

O Comando Conjunto Leste reitera seu empenho no combate à pandemia, em colaboração com outras agências, e possui órgãos de coordenação onde eventuais dúvidas podem ser sanadas, evitando-se levar informações distorcidas à população.

Por fim, o Comando Conjunto Leste está atento à evolução da pandemia do Coronavírus (Covid-19), sob a ótica da missão constitucional do Exército Brasileiro e da proteção da Família Militar, apoiando o esforço nacional de combate à pandemia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: