Executivo afirma que nunca foi diretor da Andrade Gutierrez

Flávio Lúcio Magalhães, preso pela Operação Erga Omnes, afirmou à Polícia Federal que não trabalhou na empreiteira alvo da Lava Jato

Redação

23 de junho de 2015 | 03h00

Por Julia Affonso e Fausto Macedo

Apontado pela Operação Lava Jato como diretor da empreiteira Andrade Gutierrez, Flávio Lúcio Magalhães depôs nesta segunda-feira, 22, na Polícia Federal, e negou que tivesse ocupado o cargo. Magalhães foi preso pela Operação Erga Omnes, 14.ª fase da Lava Jato, sexta-feira, 19, sob suspeita de ter integrado o esquema de corrupção e propinas que se instalou na Petrobrás entre 2003 e 2014.

“Ele (Flávio Lúcio) foi preso sob acusação de ter sido diretor da Área Internacional da Andrade Gutierrez, mas nunca foi diretor da empresa. Ele nunca foi executivo da empresa, nem nunca foi nem funcionário da Andrade Gutierrez”, declarou o advogado criminal Guilherme San Juan Araújo, sócio do San Juan Araújo Advogados, defensor do investigado.

Para San Juan, “houve um equívoco”. “A afirmação de que ele (Flávio Lúcio) ocupou tais cargos na Andrade Gutierrez é completamente equivocada. Esse homem está preso por um tremendo engano”, disse Guilherme San Juan Araújo.

O advogado não comentou sobre o que a PF tem contra seu cliente. “Como tenho um respeito absoluto ao sigilo dos autos não posso comentar mais detalhes. Apenas faço questão de ressaltar que meu cliente nunca ostentou qualquer cargo na Andrade Gutierrez.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.