Ex-secretário e três policiais militares do MT são presos por grampos ilegais

O ex-chefe da Casa Militar do Mato Grosso, coronel Evandro Ferraz Lesco, o coronel Ronelson Jorge de Barros, o tenente-coronel Januário Batista e o cabo Torezan foram detidos por suposto envolvimento em esquema que ficou conhecido como 'barriga de aluguel'

Fábio Serapião e Luiz Vassallo

24 de junho de 2017 | 13h40

O ex-secretário da Casa Militar do Mato Grosso, Evandro Ferraz Lesco, e três policiais militares foram presos preventivamente nesta sexta-feira, 23, por suspeita de participação do esquema de escutas ilegais contra políticos, jornalistas e advogados que ficou conhecido como ‘barriga de aluguel’.

As prisões foram autorizadas nesta quinta-feira, 22, pelo desembargador do Tribunal de Justiça daquele estado, Orlando de Almeida Perri.

O esquema ficou conhecido como ‘barriga de aluguel’ porque, ao solicitar a quebra de sigilo telefônico no âmbito de inquéritos, os envolvidos incluíam nos pedidos de autorização à Justiça números de linhas de telefone de pessoas que não eram investigadas.

Com as prisões do ex-secretário da Casa Militar do Mato Grosso, do coronel Ronelson Jorge de Barros, do tenente-coronel Januário Batista e do cabo Torezan, nesta sexta-feira, já são seis encarcerados por suposta participação dos esquemas – inicialmente, foram detidos o coronel Zaqueu Barbosa e o cabo Gerson Luiz Correia Junior.

COM A PALAVRA, O GOVERNO DO MATO GROSSO

O Governo do Estado do Mato Grosso disse, em nota, ter “total confiança” na conduta do secretário-chefe da Casa Militar, coronel Evandro Alexandre Ferraz Lesco, e seu adjunto, coronel Ronelson Jorge de Barros.

“Apesar da decretação das prisões, as investigações estão em fase inicial e não há, até onde seja do conhecimento do Governo, nenhum ato que desabone suas condutas de militares e agentes públicos honrados e probos”.

Mais conteúdo sobre:

Barriga de Aluguel