Ex-prefeita de Magé é presa por desviar processos judiciais

Ex-prefeita de Magé é presa por desviar processos judiciais

Ela foi detida enquanto prestava depoimento no Fórum de Magé

Fábio Grellet/RIO

10 Outubro 2018 | 21h11

Reprodução de vídeo divulgado pela ex-prefeita no YouTube

A ex-prefeita de Magé (município da Região Metropolitana do Rio) e ex-deputada estadual Núbia Cozzolino (na foto acima, congelada de vídeo postado por ela no YouTube) foi presa nesta quarta-feira (10) acusada de liderar uma quadrilha que falsificava assinaturas de juízes e promotores e desviava processos judiciais. Ela foi detida enquanto prestava depoimento no Fórum de Magé.

A investigação contra Núbia começou no ano passado, quando o Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ) constatou que nove processos que tramitavam na 1ª Vara Cível de Magé haviam desaparecido. A maioria tinha como réus integrantes da família Cozzolino, que dominam a política em Magé há cerca de 30 anos.

O MP-RJ aprofundou a pesquisa, analisou 110 processos e constatou várias irregularidades. Ações em que Núbia é acusada de improbidade administrativa haviam sido arquivadas sem que tivessem tramitado até o fim, por exemplo. Assinaturas de juízes e outras autoridades foram falsificadas. Três advogados que prestaram serviços a Núbia também foram detidos.

A reportagem tentou ouvir o advogado Alexandre Peçanha, que representa Núbia, mas não obteve retorno até a noite desta quarta-feira. À TV Globo, no final da manhã, Peçanha afirmou que iria à Polícia Civil para obter mais informações sobre as acusações contra sua cliente, sobre as quais àquela altura ele não tinha conhecimento.