Ex-executivo da OAS, réu da Lava Jato, morre em São Paulo

Ex-executivo da OAS, réu da Lava Jato, morre em São Paulo

Falecimento de João Alberto Lazzari, ocorrido no dia 31 de maio, foi comunicado à Justiça nesta segunda-feira, 8, pela defesa de empreiteira que pede extinção de punibilidade

Redação

08 de junho de 2015 | 21h43

João Alberto Lazzari durante depoimento no início de maio. Foto: Reprodução

João Alberto Lazzari, à direita, durante depoimento no início de maio. Foto: Reprodução

Por Julia Affonso, Fausto Macedo e Ricardo Brandt

A defesa da OAS comunicou à Justiça Federal nesta segunda-feira, 8, a morte de um dos executivos da empreiteira, João Alberto Lazzari, réu da Operação Lava Jato. Em petição endereçada ao juiz federal Sérgio Moro, que conduz as ações criminais da investigação sobre corrupção e propinas na Petrobrás, o advogado José Carlos Cal Garcia Filho pede declaração da extinção da punibilidade do acusado – como prevê o artigo 107 do Código de Processo Penal.

O advogado anexou ao pedido cópia da certidão de óbito de Lazzari. O executivo morreu aos 63 anos, no dia 31 de maio, vítima de “disfunção de múltiplos órgãos, sepse de foco pulmonar, neoplasta gástrica”.

Ele estava internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. O corpo foi sepultado no cemitério municipal de Anta Gorda, no Rio Grande do Sul.

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava Jato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: