Ex-bolsonarista, deputada se diz ameaçada e representa contra Eduardo Bolsonaro no Conselho de Ética da Câmara

Ex-bolsonarista, deputada se diz ameaçada e representa contra Eduardo Bolsonaro no Conselho de Ética da Câmara

Filho do presidente chamou Dayane Pimentel (PSL-BA) de 'traidora' e compartilhou foto da parlamentar com alvo no rosto

Rayssa Motta e Fausto Macedo

14 de setembro de 2021 | 19h14

Ex-aliada do governo, a deputada federal Dayane Pimentel (PSL-BA) entrou nesta terça-feira, 14, com uma representação no Conselho de Ética da Câmara contra o também deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) pedindo que ele responda a um processo administrativo por publicações contra ela nas redes sociais. A parlamentar diz que está sendo ‘ameaçada’ e ‘perseguida’ pelo filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Documento

“Desde que a sra. Dayane Pimentel deixou de apoiar o governo do Presidente Jair Bolsonaro, o Deputado Federal Eduardo Bolsonaro, ora Representado, vem perseguindo a Representante, de forma a intimidá-la e temer pela sua integridade física e moral, máxime diante de tanta violência que se encontra lamentavelmente no cenário político hodierno”, diz um trecho da representação.

Publicações de Eduardo Bolsonaro no Instagram. Foto: Reprodução

Dayane imputa ao deputado quebra de decoro parlamentar por violação ao trecho do Código de Ética da Câmara que prevê como dever fundamental dos deputados ‘tratar com respeito e independência os colegas’. Ela também afirma que Eduardo Bolsonaro cometeu os crimes de stalking (perseguição) e dano emocional à mulher, incluídos recentemente no Código Penal.

“A deputada federal se sente extremamente ameaçada e assustada, pois, repise-se à exaustão, um deputado que correntemente incita o ódio na política brasileira, com forte influência perante os seus seguidores – que, diga-se, são milhões –, o persegue nas redes sociais, transbordando, pois, aos limites concedidos pelas prerrogativas parlamentares ou liberdade de expressão”, segue a parlamentar.

A representação foi enviada depois que Eduardo Bolsonaro chamou a deputada de ‘traidora nível hard’ por participar da manifestação na avenida Paulista, em São Paulo, no último domingo, 19, que pedia o impeachment do presidente. Ele também compartilhou uma foto da parlamentar com um alvo no rosto.

Com a repercussão da publicação, a Secretaria da Mulher da Câmara dos Deputados divulgou uma nota de repúdio ao comentário.

“Lamentamos a postura recorrente de Eduardo Bolsonaro por meio de atos de violência política de gênero em redes sociais, incompatíveis com o mandato parlamentar e por se constituírem em verdadeiro atentado à Constituição brasileira”, diz o texto.

COM A PALAVRA, O DEPUTADO EDUARDO BOLSONARO

A reportagem entrou em contato com o gabinete do deputado e aguarda resposta. O espaço está aberto para manifestação.

Tudo o que sabemos sobre:

Eduardo Bolsonaro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.