Eunício tem convicção de que ‘verdade dos fatos prevalecerá’, diz defesa

Eunício tem convicção de que ‘verdade dos fatos prevalecerá’, diz defesa

Advogado do presidente do Senado divulga nota sobre operação da PF realizada nesta manhã e que faz buscas em endereços de pessoas ligadas ao parlamentar

Mateus Coutinho, Julia Affonso, Fausto Macedo e Luiz Vassallo

21 Março 2017 | 10h58

eunicio

Em nota divulgada na manhã desta terça-feira, 21, o advogado do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), afirmou que “o senador tem a convicção de que a verdade dos fatos prevalecerá”, em relação a nova fase da Lava Jato no STF que faz buscas em endereços de pessoas ligadas ao peemedebista. O texto assinado pelo criminalista Aristides Junqueira diz ainda que o parlamentar “autorizou que fossem solicitadas doações, na forma da lei, à sua campanha ao governo do Estado do Ceará”, em 2014.

O texto afirma ainda que a abertura de inquéritos contra o senador no Supremo Tribunal Federal para apurar “versões de delatores” é o caminho natural do rito processual. A Polícia Federal realiza nesta manhã a primeira operação autorizada pelo STF com base em informações das delações premiadas de executivos da Odebrecht.

Ao todo, são cumpridos 14 mandados de busca e apreensão em Pernambuco, Alagoas, Rio de Janeiro e Brasília. Os alvos desta etapa não são políticos, mas pessoas ligadas aos senadores Renan Calheiros (PMDB-AL), Humberto Costa (PT-PE), Eunício Oliveira (PMDB-CE) e Valdir Raupp (PMDB-RO).

A PF cumpriu mandado na Confederal, empresa de vigilância e Transporte de Valores, ligada ao presidente do Senado Eunício Oliveira.

Em Pernambuco, dois alvos são Mário Barbosa Beltrão, empresário ligado ao senador Humberto Costa, e Sofia Beltrão.

Mário Beltrão foi citado na delação premiada do ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa, em 2014. Segundo o delator, Humberto Costa recebeu R$ 1 milhão do esquema de propinas e corrupção na Petrobrás para sua campanha em 2010.