‘Eu preciso só que resolva, que opere o paciente ou que ele morra’

‘Eu preciso só que resolva, que opere o paciente ou que ele morra’

Secretária de Saúde de Friburgo (RJ), Tânia da Silva Trilha, deixou o cargo após áudio no qual ela cobra diretor de hospital para ‘cumprir’ decisão judicial circular nas redes sociais

Julia Affonso

12 de junho de 2019 | 11h25

Tânia Trilha. Foto: Daniel Marcus/Prefeitura de Nova Friburgo

A prefeitura de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, informou nesta quarta-feira, 12, que a secretária de Saúde da cidade Tânia da Silva Trilha pediu exoneração do cargo, após um áudio cair nas redes sociais. Na gravação, Tânia ordena. “Que opere o paciente ou que ele morra.”

Segundo a prefeitura, Tânia ‘confirmou a procedência do áudio’. Friburgo tem 190 mil habitantes e fica a cerca de 2 horas e meia da capital fluminense.

Ouça

O Conselho Regional de Medicina do Rio (Cremerj) emitiu uma nota de repúdio nesta terça, 11. Segundo o Conselho, o áudio teria sido enviado ao antigo diretor do Hospital Municipal Raul Sertã, Artur Mattar, a quem Tânia cobrou posicionamento após uma decisão judicial.

“Arthur meu querido, olha só! Eu preciso só que resolva; que opere o paciente ou que ele morra, entendeu, pra gente se ver livre do problema, mas é só o que eu preciso porque eu tenho que cumprir uma decisão judicial, você me ajuda nisso por favor? obrigada meu querido”, ela diz no áudio.

O Cremerj afirmou que a ‘atitude da Secretária fere, frontalmente, os princípios fundamentais deste Código de Ética’.

“O Código de Ética respalda todos os procedimentos médicos, protegendo não só o paciente, assim como o médico em questão”, registrou o Conselho.

“A atitude que presenciamos é um descalabro. O Cremerj ingressará, no dia de hoje, com representação de improbidade administrativa no Ministério Público do Rio de Janeiro por violação do princípio da moralidade administrativa.”

COM A PALAVRA, TÂNIA

A reportagem não localizou Tânia da Silva Trilha. O espaço está aberto para manifestação.

COM A PALAVRA, A PREFEITURA DE NOVA FRIBURGO

Segundo a prefeitura, ‘a própria Tânia Trilha confirmou a procedência do áudio e ontem (11), no final do dia, ela acabou pedindo exoneração do cargo de secretária municipal de Saúde’.

COM A PALAVRA, O CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO RIO

“O Cremerj vem a público denunciar e repudiar um descalabro que aconteceu em uma unidade de saúde, em Nova Friburgo.

Abaixo a transcrição do áudio com um pedido da Secretária Municipal de Friburgo, Tânia da Silva Trilha, ao antigo Diretor do Hospital Municipal Raul Sertã, Artur Mattar:

“Arthur meu querido, olha só! Eu preciso só que resolva; que opere o paciente ou que ele morra, entendeu, “pragente” se ver livre do problema, mas é só o que eu preciso porque eu tenho que cumprir uma decisão judicial, você me ajuda nisso por favor? obrigada meu querido”.

O Cremerj, em defesa da população e da boa prática médica, repudia todo e qualquer tipo de coação ao médico que o iniba de praticar da melhor forma seu trabalho e possa colocar em risco a vida do paciente!

O Código de Ética respalda todos os procedimentos médicos, protegendo não só o paciente, assim como o médico em questão! E este tipo de atitude da Secretária fere, frontalmente, os princípios fundamentais deste Código de Ética!

A Constituição Federal em seu artigo 5, afirma que “a vida é direito inviolável”. Nenhuma decisão judicial, lei ou qualquer decisão pode se sobrepor a esse mandamento.

Os Médicos são os guardiões deste direito e o Conselho Regional de Medicina, fiscalizador e atuante, está indignado com esta franca violação.

Ao gestor público cabe zelar pela vida e pela moralidade dentro do serviço público. A atitude que presenciamos é um descalabro.

O Cremerj ingressará, no dia de hoje, com representação de improbidade administrativa no Ministério Público do Rio de Janeiro por violação do princípio da moralidade administrativa.

O alvo de toda atenção é e sempre será o paciente!”

Tendências: