‘Eu não tenho a vocação do Getúlio de me dar um tiro’, afirma Lula

‘Eu não tenho a vocação do Getúlio de me dar um tiro’, afirma Lula

Ex-presidente desafia seus opositores a derrotá-lo nas urnas

Ricardo Galhardo

15 de setembro de 2016 | 14h33

Getúlio Vargas e Lula. Fotos: Arquivo e Márcio Fernandes/Estadão

Getúlio Vargas e Lula. Fotos: Arquivo e Márcio Fernandes/Estadão

O ex-presidente Lula contra-atacou seus adversários nesta quinta-feira, 15. O petista reagiu à Lava Jato, que o acusa de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá.

“Eu não tenho a vocação do Getúlio (Vargas) de me dar um tiro”, disse Lula. “Eu não tenho a vocação do Jango de sair do Brasil.”

“Portanto, se eles quiserem me tirar vão ter que disputar comigo nas urnas. Eles achavam que eu estava vencido.”

Lula disse que ‘nesse país tem pouca gente com a vida mais publica, mais fiscalizada do que a minha’.

A Procuradoria da República, no Paraná, denunciou o petista, sua mulher Marisa Letícia e mais seis investigados por corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato. Para o Ministério Público Federal, o ex-presidente é o ‘comandante máximo do esquema de corrupção’ instalado na Petrobrás.

As acusações se referem ao recebimento de vantagens ilícitas da OAS por meio da reforma do triplex 164-A, no Guarujá (SP), e o armazenamento de bens do acervo presidencial. Segundo a denúncia, Lula recebeu R$ 3,7 milhões de propina da empreiteira.

Parte do valor está relacionada ao apartamento: R$ 1,1 milhão para a aquisição do imóvel, R$ 926 mil em reformas, R$ 342 mil para cozinha e imóveis, além de R$ 8 mil para eletrodomésticos. O armazenamento dos bens custou R$ 1,3 milhão.

Tudo o que sabemos sobre:

operação Lava JatoLula

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: