‘Escândalos falsos não vão interferir na missão’, avisa Moro

‘Escândalos falsos não vão interferir na missão’, avisa Moro

Ministro da Justiça e Segurança Pública volta a reagir no Twitter ao vazamento de mensagens atribuídas a ele com o coordenador da força-tarefa da Lava Jato, procurador Deltan Dallagnol

Luiz Vassallo

12 de junho de 2019 | 20h36

Ministro da Justiça Sérgio Moro. Foto: Felipe Rau/Estadão

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou, nesta quarta-feira, 12, que ‘escândalos falsos não vão interferir na missão’ de reduzir a criminalidade no País. “Precisamos trabalhar para a redução ser permanente e constante.”

Por meio de suas redes sociais, Moro voltou a reagir ao vazamento de mensagens atribuídas a ele com o coordenador da força-tarefa da Lava Jato, Deltan Dallagnol. Os textos foram divulgados pelo site The Intercept, em reportagens sobre suposta orientação do ex-juiz da Operação e os procuradores do Paraná.

Ao comentar a redução da violência, Moro afirmou: “mesmo com a redução, os números ainda são altos, precisamos trabalhar muito mais”.

Ajudaria a aprofundar a queda a aprovação do projetoanticrime, mas respeitamos a prioridade da NovaPrevidência; hackers de juízes, procuradores, jornalistas e talvez de parlamentares, bem como suas linhas auxiliares ou escândalos falsos não vão interferir na missão”, afirma.

Mais conteúdo sobre:

Sérgio Morooperação Lava Jato