‘Era um episódio bizarro e a situação era insustentável’, afirma Moro sobre Alvim

‘Era um episódio bizarro e a situação era insustentável’, afirma Moro sobre Alvim

Ministro da Justiça afirmou que não cabia a ele se pronunciar quando ocorreu o episódio, já que o presidente Jair Bolsonaro 'falou pelo Executivo'

Redação

20 de janeiro de 2020 | 22h48

Ministro Sérgio Moro. FOTO: GABRIELA BILÓ/ESTADÃO

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, comentou pela primeira vez, nesta segunda, 20, o episódio que levou à demissão do ex-secretário de Cultura, Roberto Alvim. “Minha opinião foi uma opinião geral, de que era um episódio bizarro e de que a situação era insustentável”.

“A meu ver, foi um episódio bizarro. Tendo ciência desse episódio, eu dei minha opinião. E eu a meu ver foi decisão correta”, afirmou Moro, ao justificar sobre o motivo de não ter se manifestado sobre o episódio quando ele ocorreu.

“Ele [Bolsonaro] fala sobre o executivo, e não os ministros. Eu dei minha opinião para dentro. O presidente falou pelo executivo. Não preciso ficar secundando”, completou.

Alvim foi demitido pelo presidente Jair Bolsonaro na sexta-feira, 18, após aparecer em vídeo parafraseando Joseph Goebbels, ministro de Adolf Hitler. A menção repercutiu muito mal entre chefes de Poderes, na comunidade judaica e mesmo entre auxiliares mais próximos de Bolsonaro. O presidente cedeu à pressão e optou por demitir Alvim.

Após convite do presidente Jair Bolsonaro, a atriz Regina Duarte aceitou participar de uma fase de testes na Secretaria de Cultura de Jair Bolsonaro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: