Empresas em alerta

Empresas em alerta

Lívio Giosa*

17 de abril de 2020 | 07h30

Lívio Giosa. FOTO: DIVULGAÇÃO

Os dias estão passando, a pandemia presente, as estatísticas nacionais sendo demonstradas à população e os empresários confinados em estado de tensão!

O que fazer neste período e o que pensar para o futuro?

Um olho atento para a vida e o outro no caixa…

Milhões de brasileiros, empregados e “desligados” de suas funções, permanecem em casa imaginando o que acontecerá com a sua vida profissional e carreira.

Outros milhões de empreendedores, nas MEIs ou informais, estão de mãos atadas, sufocados por uma situação que depende de suas próprias mãos…

Até quando vamos suportar e resistir?

Esta é a resposta de 1 milhão de dólares, que os governos (municipais, estaduais e federal) não querem prever.

Cabem a estas autoridades públicas definirem imediatamente os mecanismos facilitadores para as empresas quanto:

  1. Adiamento dos pagamentos dos impostos e tributos nos meses de Abril e Maio;
  2. Facilitação de empréstimos para capital de giro e aquisição de insumos através dos bancos oficiais;
  3. Pressão absoluta nos bancos privados para a liberação dos empréstimos às empresas (micro, médias e grandes) com flexibilização das garantias e taxas de juros favoráveis.

Estas medidas severas e impactantes farão a economia começar a girar num ritmo mais acelerado, aliado às medidas de apoio aos trabalhadores formais e informais já em vigor.

Portanto, há que se tomar uma atitude imediata.

A covid-19 no Brasil passa por aqui numa intensidade menor do que nos outros países.

Apenas algumas capitais têm uma profusão mais determinada e praticamente controlada.

Ao mesmo tempo que as EPI’s de saúde chegam junto com os equipamentos que irão parcialmente prover estas necessidades, vários infectologistas começam a definir o novo protocolo de atendimento aos infectados com medicação capaz de inibir positivamente o vírus e culminar num tratamento positivo e alentador aos pacientes.

A abertura do isolamento controlado, com regras e sensibilização da população, é a saída!

Higienização e controle do transporte público, regras claras de atendimento à população nos serviços públicos e das empresas junto aos seus clientes, deverá ser o grande investimento de comunicação coletiva a partir do reinício das operações.

E que precisam ter uma data certa.

A sugestão é que iniciemos esta retomada planejada e definida pelas autoridades a partir de 10/05, sem adiamento.

Bom motivo, então, para utilizarmos as Escolas para a conscientização das crianças e adolescentes para a prevenção.

Bom momento para sensibilizar a população para a manutenção de boas práticas de segurança à saúde.

Tempo ideal para as empresas se prepararem para reiniciarem suas operações e para respirarmos novos tempos de vitória contra a pandemia.

*Lívio Giosa, presidente do Centro Nacional de Modernização Empresarial; vice-presidente da Central Brasileira do Setor de Serviços; vice-presidente da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil e coordenador do Pensamento Nacional das Bases Empresariais

Tudo o que sabemos sobre:

Artigocoronavírus

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.