Empresas do Grupo Hypera fecham leniência com AGU e Controladoria por ‘ilícitos’ e vão pagar R$ 110 milhões

Empresas do Grupo Hypera fecham leniência com AGU e Controladoria por ‘ilícitos’ e vão pagar R$ 110 milhões

Em Fato Relevante, gigante farmacêutica informa que valor do acordo 'será integralmente suportado' pelo acionista João Alves de Queiroz Filho

Pepita Ortega

01 de junho de 2022 | 08h56

Foto: Hypera

A Controladoria-Geral da União e a Advocacia-Geral da União anunciaram a celebração de um acordo de leniência com empresas do grupo Hypera S.A – uma das maiores farmacêuticas do País – por ‘ilícitos’ previstos nas Leis Anticorrupção Lei de Improbidade Administrativa, em especial, ‘pagamentos indevidos’.

As empresas se comprometeram com o pagamento de R$ 110.882.122,19, destinados à União, além de aperfeiçoamento de ‘políticas de governança e de integridade’.

Segundo a CGU, o grupo procurou o órgão em 2020, narrando ‘irregularidades’ ocorridas entre 2010 e 2015.

Em Fato Relevante publicado nesta terça-feira, 31, dia em que o acordo foi anunciado pelos órgãos de controle, Hypera destacou que o valor total do acordo ‘será integralmente suportado’ pelo acionista João Alves de Queiroz Filho.

“A Companhia reitera que não se beneficiou dos atos lesivos praticados e nas tratativas para o Acordo de Leniência não foi identificado dano ao erário relacionado aos fatos”, registrou o grupo no texto.

Leia a íntegra do fato relevante divulgado pela Hyper S.A.

Hypera S.A. (“Hypera Pharma” ou “Companhia”) comunica que, como antecipado em Fato Relevante de 25 de maio de 2020 (“Fato Relevante”) e em Nota Explicativa das Demonstrações Financeiras desde 2020, manteve tratativas com a Controladoria-Geral da União (“CGU”) e a Advocacia Geral da União para celebração de acordo de leniência (“Acordo de Leniência”) para solucionar, de forma definitiva, os fatos divulgados no Fato Relevante.

Neste sentido, a Companhia informa que, na data de hoje, celebrou o Acordo de Leniência e se obrigou (i) ao pagamento à vista de aproximadamente R$ 110 milhões (“Valor do Acordo”); e (ii) a continuar cumprindo com o plano de desenvolvimento de seu Programa de Integridade, a ser acompanhado pelo prazo de 18 meses pela CGU. Este Acordo de Leniência não altera aspectos operacionais, fiscais e regulatórios da Companhia.

A Companhia também informa que o Valor do Acordo será integralmente suportado pelo acionista da Companhia Sr. João Alves de Queiroz Filho, conforme indicado no formulário de operações com partes relacionadas, divulgado nesta data.

A Hypera Pharma trabalhou intensamente nos últimos anos para concluir de forma segura este assunto, sempre atendendo o melhor interesse de seus acionistas, colaboradores e da Companhia e finaliza o processo mediante a celebração do Acordo de Leniência.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.